Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Viva

Estreia: Diretor faz de filme uma experiência sensorial

Por Arquivo Geral 27/07/2017 6h30
Foto: Divulgação Durante a Segunda Guerra Mundial acontece a batalha de Dunkirk quando forças britânica e francesa são encurraladas pelos alemães.

Eric Zambon
[email protected]

Dunkirk é o novo filme autoral de Christopher Nolan, que explora seu estilo característico de uma maneira nova e em uma narrativa de guerra. Até o time de preferidos do diretor, como os atores Cillian Murphy e Tom Hardy e o compositor Hans Zimmer, é usado de uma maneira diferente em relação a blockbusters como Batman e A Origem. O resultado surpreende pela intensidade e pela experiência sensorial proporcionada.

O foco da trama, contrariando a maioria dos filmes de guerra, não é na trajetória dos personagens, mas na circunstância. O ano é 1940 e os soldados ingleses estão sitiados na praia da cidade francesa de Dunquerque, desesperados para atravessar o Canal da Mancha e retornar para casa. Devido à agressividade do ataque inimigo, porém, os navios de resgate e aviões têm atuação restrita no local, dificultando a evacuação dos quase 350 mil soldados, somando-se os militares franceses, belgas e holandeses.

Em vez de uma abordagem convencional, Nolan, também responsável pelo roteiro, subdivide a história em três eixos, cada um simbolizando Água, Ar ou Terra. Assim, a luta do protagonista Tommy, um soldado franzino e calado interpretado pelo estreante Fionn Whitehead, para fugir é a Terra, a ação do piloto de caça Farrier, vivido Tom Hardy, é o Ar e o ato heróico do sr. Dawson, com atuação de Mark Rylance, é a Água. Cada arco tem sua linha do tempo própria, e isso ajuda a gerar suspense.

Em muitos momentos é difícil reconhecer o ator ou mesmo quem é o personagem em tela, e isso é proposital. Visualmente, o diretor tenta assimilar os soldados lhes conferindo características físicas parecidas e cobrindo suas caras com sujeira por boa parte do tempo. Até o garoto-propaganda da produção, o ex-One Direction Harry Styles, não recebe qualquer visibilidade diferenciada. O mesmo vale para o astro Tom Hardy, que só mostra o rosto inteiro por uns dois minutos. A ideia era nivelar todos como vítimas daquela situação, sem distinção.

As exceções são o comandante Bolton, interpretado por Kenneth Brannagh, e o sr. Dawson, vivido por Mark Rylance. A melhor fala do filme é dita por ele, ao ser questionado sobre sua idade e como poderia contribuir na batalha. “Somos nós que ditamos essa guerra”. O filme estréia hoje nos cinemas.

Dunkirk
Direção: Christofer Nolan
Elenco: Fionn Whitehead, Jack Lowden, Harry Styles, Kenneth Branagh, Cillian Murphy
Produção: EUA/França,/Reino Unido, 2017, 14 anos
Quando: estreia hoje

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar