fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Futebol

Tite pode ser o quarto técnico do Corinthians a assumir a seleção desde 1998

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O Corinthians tornou-se o maior fornecedor de técnicos para a Seleção Brasileira nos últimos anos. Com a possível contratação do técnico Tite, que deve ser definida nesta quarta-feira, na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), dos sete treinadores escolhidos para o cargo mais recentemente, quatro deles sairiam diretamente do Timão para o comando da equipe canarinho.

Os nomes da lista, que teve início ainda no final da década de 90, são Vanderlei Luxemburgo (1998-2000), Emerson Leão (2000-2001), Luiz Felipe Scolari, duas vezes (2001-2002 e 2013-2014), Carlos Alberto Parreira (2003-2006), Dunga, duas vezes (2007-2010 e 2014-2016), e Mano Menezes (2010-2012).

Chamado para cobrir o buraco deixado por Dunga e acertar a equipe que ocupa apenas a sexta colocação nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, além de recentemente ter caído na fase de grupos da Copa América contra o Peru, Tite seguiria um caminho inaugurado por Luxemburgo, em 1998.

Naquela ocasião, Luxemburgo fazia uma grande campanha no Campeonato Brasileiro com o Timão e viu cair no seu colo a chance de substituir Zagallo, que ficou com o vice na Copa do Mundo daquele ano. A campanha com o Alvinegro era tão boa, porém, que manteve o corintiano no posto até a conquista do título nacional, trabalhando ao mesmo tempo como treinador tanto dos paulistas quanto da Seleção.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Depois, Luxa saiu e viu Candinho, seu auxiliar, assumir o comando interinamente para uma vitória por 6 x 0 sobre a Venezuela, em 2000, após a eliminação precoce nas Olimpíadas de Sidney. Curiosamente, Candinho fez o caminho contrário, indo para o Corinthians após deixar a Seleção, local onde permaneceu por dez partidas antes de ser demitido.

O próximo nome contratado, no entanto, foi Emerson Leão, que estava no Sport e ficou menos de um ano como treinador. Seu substituto: Luiz Felipe Scolari, então comandante do Cruzeiro, dono de grandes resultados no Palmeiras. Campeão mundial em 2002, Felipão então abriu espaço para o segundo corintiano da lista.

Carlos Alberto Parreira já havia sido campeão da Copa em 1994, mas fez um de seus trabalhos de maior destaque no Corinthians de 2002. Campeão da Liga Rio-São Paulo e da Copa do Brasil, foi vice do Brasileiro antes de ser chamado para comandar o ciclo até 2006.

Depois, Dunga entrou na jogada para comandar até 2010, sofrendo uma dura queda nas quartas da Copa, para a Holanda. Outra vez a Copa abriu caminho para que um corintiano, dessa vez Mano Menezes, fosse o escolhido para recuperar o futebol do país. Diferentemente dos já consagrados Luxemburgo e Parreira, Mano, então líder do Brasileiro, era o primeiro nome realmente “alçado” a essa condição principalmente pelo trabalho no Timão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A situação é a mais semelhante à de Tite, que rodou por diversos clubes do futebol nacional antes de chegar ao Corinthians, em 2010, e conquistar seu primeiro Brasileiro, Libertadores e Mundial, além de um Paulista e uma Recopa Sul-Americana. Frustrado pelo anúncio de Dunga em 2014, ele tirou um “ano sabático” e ainda voltou no ano passado para mais um título do Brasileiro.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade