Torcida

Situação de Djokovic na Austrália foi prejudicial para todos, diz ATP

Sem se vacinar, Djokovic obteve a permissão de permanecer no país porque testou positivo para a doença em 16 de dezembro

Cinco dias após a tumultuada chegada de Novak Djokovic à Austrália, a Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) se manifestou nesta segunda-feira sobre o caso que sacudiu o mundo do tênis na última semana. Em comunicado, a entidade evitou se posicionar de forma contundente ao comemorar a decisão judicial favorável ao sérvio, defender a vacinação contra a covid-19 e afirmar que o caso causou danos para todos.

“A série de eventos que levaram ao julgamento desta segunda-feira prejudicou a todos, incluindo o bem-estar de Novak e sua preparação para o Aberto da Austrália”, disse a ATP. “Pedidos de exceções médicas são feitas de forma independente da ATP, entretanto estamos em contato constante com a Tennis Austrália para buscar maior clareza sobre este processo.”

A exceção médica a que a entidade se refere é a permissão médica especial que Djokovic obteve junto ao governo estadual de Victoria e à federação australiana de tênis para poder entrar no país e disputar o primeiro Grand Slam da temporada mesmo sem estar vacinado contra a covid-19.

A permissão serve para atender casos específicos, como o de pessoas que não tomaram o imunizante para não piorar um quadro clínico grave causado por outra doença ou porque apresentaram reação grave na primeira dose ou ainda porque tiveram covid-19 nos últimos seis meses.

Sem se vacinar, Djokovic obteve a permissão porque testou positivo para a doença em 16 de dezembro. Mas, na entrada no país, foi barrado porque as autoridades da fronteira consideraram que sua documentação era insuficiente para confirmar a exceção médica. Além disso, o governo federal argumentou que não estava mais aceitando a liberação com base em teste positivo recente. Isso gerou uma guerra de declarações públicas entre o governo federal, o estadual e a Tennis Australia, responsável por organizar o torneio.

O número 1 do mundo acabou passando por seguidos constrangimentos, como permanecer no aeroporto por oito horas, ao longo da madrugada da quinta-feira passada. E, após ter seu visto cancelado, foi levado para um hotel reservado a refugiados, no subúrbio de Melbourne. Ele só não foi deportado porque seus advogados levaram o caso para a justiça local, que definiu por liberar a permanência do jogador na Austrália em audiência realizada nesta segunda-feira.

Em seu comunicado, a ATP defendeu o sérvio e comemorou a decisão judicial. “Ao viajar para Melbourne, está claro que Novak Djokovic acreditou que ele havia assegurado a permissão médica especial para poder atender a todas as regras de entrada no país”, registrou. “Nós nos congratulamos com a decisão da audiência desta segunda e estamos ansiosos por algumas semanas de tênis pela frente.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A entidade disse ainda respeitar as regras impostas pelo governo australiano, devido à pandemia, mas alertou que estas “complicações” mostram a “necessidade de uma maior compreensão, comunicação e aplicação das regras”.

E também ressaltou sua defesa da vacinação. “A ATP recomenda fortemente a vacinação para todos os tenistas do circuito, isso é essencial para que o nosso esporte possa enfrentar a pandemia. Isso é baseado em evidência científica.” Por fim, a entidade revelou que 97% do Top 100 do ranking masculino está vacinado.

Estadão Conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Matéria publicada em 10 de janeiro de 2022 20:42

Redação Jornal de Brasília

Notícias Recentes

Movimentos contra Bolsonaro decidem não disputar 7 de setembro com ele

Em 2021, eles se juntaram ao tradicional Grito dos Excluídos e fizeram manifestações contra o presidente na data

10 de agosto de 2022

Ministro do TSE manda YouTube apagar discurso em que Lula chama Bolsonaro de genocida

O magistrado considerou que o discurso pode ter configurado "propaganda eleitoral extemporânea negativa"

10 de agosto de 2022

DF é condenado a indenizar aluno que sofreu reação alérgica após ingerir alimento

A decisão é do juiz da 6ª Vara da Fazenda Pública do DF que concluiu que não foram observados os…

10 de agosto de 2022

TJDFT suspende expediente nesta quinta (11)

Na data em questão é comemorado no Brasil o Dia do Magistrado, Dia do Advogado e Dia da Criação dos…

10 de agosto de 2022

Juiz autoriza prisão de agente penal que matou petista a tiros em Foz do Iguaçu

Guaranho recebeu alta nesta quarta-feira, 8, mas ainda não havia sido transferido para o presídio

10 de agosto de 2022

Servidores da Abin criticam veto de Bolsonaro ao reajuste para policiais na LDO

De acordo com a sugestão de veto do Ministério da Economia, a proposta original da do governo para a LDO…

10 de agosto de 2022

This website uses cookies.