Torcida

Pato elogia Djokovic por recusa à ‘picada experimental’, mas recua e exalta vacinação

Na publicação original, o atacante ex-Tianjin Tianhai, da China, usava termos xenófobos -"vírus chinês" e "peste chinesa"

Alexandre Pato recuou após uma publicação em apoio ao tenista Novak Djokovic sua viralizar nas redes sociais na manhã desta terça-feira (18). Após a repercussão negativa do texto, o atacante mudou o posicionamento e agora pede que todos se vacinem.

“Quero deixar clara a importância de todos os seres humanos se vacinarem. Eu tomei as minhas doses no exato momento em que fui liberado para tal, e acho importante que todos tenham essa consciência de se proteger e proteger quem está ao seu lado”, afirmou Pato na retratação.

A posição é muito diferente daquela que repercutiu mais cedo. Na publicação original, o atacante ex-Tianjin Tianhai, da China, usava termos xenófobos -“vírus chinês” e “peste chinesa”.

Também exaltava suposta doações de Djokovic a causas sociais e celebrava como positivo o fato de o tenista optar por não se vacinar contra a Covid-19 -ou “não se submeter à picada experimental”, em citação literal. Segundo o estafe do jogador, o texto não era dele.

A vacina contra a Covid-19, como é consenso entre cientistas, é a principal defesa que o ser humano tem à disposição para evitar morrer com a doença. Mais de 5,5 milhões de pessoas já foram vítimas do coronavírus desde o começo da pandemia, sendo mais de 620 mil só no Brasil.

Ambas as publicações de Pato foram feitas em seu perfil no Instagram. Na retratação, ele afirma que “quis valorizar os feitos humanitários de Djokovic” e suas conquistas esportivas. “Quando me dei conta de que colocações no texto não condizem com minha maneira de pensar, aí sim apaguei”.

O próprio Alexandre Pato registrou nas redes sociais quando recebeu a primeira dose de vacina contra a Covid-19, em abril. “É bom ver que dias melhores estão chegando”, publicou na ocasião, na legenda da foto que ilustra este texto.
Djokovic virou assunto nas últimas semanas não por qualquer conquista no tênis, e sim por preferir não se vacinar contra a Covid-19.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ele tentou entrar na Austrália com uma exceção médica e ficou detido em duas ocasiões, a princípio conseguiu uma liberação na Justiça, mas depois acabou deportado.

Ele não havia cumprido isolamento após supostamente contrair o coronavírus, em dezembro, e ao entrar no país havia apresentado informações que não eram verdadeiras, além de ser um notório crítico da obrigatoriedade das vacinas.

Matéria publicada em 18 de janeiro de 2022 16:01

FolhaPress

Notícias Recentes

Movimentos contra Bolsonaro decidem não disputar 7 de setembro com ele

Em 2021, eles se juntaram ao tradicional Grito dos Excluídos e fizeram manifestações contra o presidente na data

10 de agosto de 2022

Ministro do TSE manda YouTube apagar discurso em que Lula chama Bolsonaro de genocida

O magistrado considerou que o discurso pode ter configurado "propaganda eleitoral extemporânea negativa"

10 de agosto de 2022

DF é condenado a indenizar aluno que sofreu reação alérgica após ingerir alimento

A decisão é do juiz da 6ª Vara da Fazenda Pública do DF que concluiu que não foram observados os…

10 de agosto de 2022

TJDFT suspende expediente nesta quinta (11)

Na data em questão é comemorado no Brasil o Dia do Magistrado, Dia do Advogado e Dia da Criação dos…

10 de agosto de 2022

Juiz autoriza prisão de agente penal que matou petista a tiros em Foz do Iguaçu

Guaranho recebeu alta nesta quarta-feira, 8, mas ainda não havia sido transferido para o presídio

10 de agosto de 2022

Servidores da Abin criticam veto de Bolsonaro ao reajuste para policiais na LDO

De acordo com a sugestão de veto do Ministério da Economia, a proposta original da do governo para a LDO…

10 de agosto de 2022

This website uses cookies.