Siga o Jornal de Brasília

Saúde

Pacientes com mais de 50 anos geram um “boom” no mercado estético, aponta estudo

Procedimentos de lipoaspiração e aumento de mama estão entre os mais procurados por pessoas deste grupo etário

Publicado

em

Pessoal ou social, a procura por aceitação quase sempre é mencionada nas primeiras consultas dos pacientes com mais de 50 anos com o especialista, relata a cirurgiã plástica Ivanoska Filgueira. Ela conta que esta geração já não tem mais preconceitos quando o assunto é mudar algo que tem incomodado esteticamente. “Muitos querem apreciar o melhor da vida nesta época, e estar de bem com o espelho pode dar a segurança que procuram para potencializar esta fase”, explica a especialista.

O boom nos consultórios com pacientes nesta idade é uma tendência é mundial. Um estudo recente apresentado pela Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos (ASPS) revelou um aumento surpreendente de procedimentos estéticos entre pessoas com mais de 55 anos. Os dados recém-divulgados mostraram que cerca de 50.000 procedimentos adicionais foram realizados naqueles nessa faixa etária do que no ano anterior.

Entre os procedimentos cirúrgicos mais recorrentes estão lipoaspiração, transplante de cabelo e aumento de mama, bem como opções minimamente invasivas como botox e preenchimentos.

Apesar de ter sido realizado nos EUA, o estudo reflete a rotina de atendimentos da médica brasileira. “Chegam no consultório pacientes que querem apreciar um novo momento. Alguns perderam pessoas importantes e buscam uma mudança de vida ou realizar aquele sonho que estava em segundo plano por muitos anos”, conta Ivanoska.

O levantamento mostrou que, no total, foram realizados mais de 4,2 milhões de procedimentos estéticos nos EUA em 2018, incluindo quase 381.000 procedimentos cirúrgicos e 3,8 milhões de procedimentos minimamente invasivos. Esta faixa etária foi responsável por quase metade de todas as cirurgias de pálpebras e dois terços dos facelifts realizados no ano passado.

Em busca de um novo amor

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), o número de divórcio entre pessoas com mais de 50 anos quase dobrou nos últimos 10 anos. Parte dos motivos que levam os casais à separação são individuais, entretanto, entre os fatores mais comuns listados por especialistas estão a saída dos filhos de casa e o declínio da qualidade de vida que a idade traz.

Relatando a insatisfação com as mudanças físicas advindas com a idade e o desinteresse pela vida sexual, os candidatos à cirurgia procuram novas experiências e uma boa relação com o corpo. “Eles querem novos círculos sociais, novos relacionamentos. Alguns apostam até mesmo em namoros virtuais e estão presentes nos aplicativos com este fim. Querem ter a melhor aparência possível e sair bem na foto”, explica Ivanoska.

Realocação profissional

Além da procura por um amor, Filgueira conta que a volta para o mercado de trabalho também é um anseio recorrente entre os pacientes com mais de 50 anos. Com o aumento da expectativa de vida do brasileiro, aumentou também a presença de pessoas com 60 anos ou mais que estão ativos no mercado de trabalho.

Pesquisa do Instituto Datafolha comprova que o percentual de brasileiros com 60 anos ou mais empregados ou em busca de emprego cresceu de 20% para 26% entre 2007 e 2017. Nesse mesmo período, dentro do mercado formal, os profissionais com 50 a 64 anos passaram de 10,5% para 16,5%.

Ter maior segurança e se sentir mais confortável fisicamente para encarar ou se manter no mercado é um dos motores para aqueles que optam por mudanças estéticas. “Com receio de grandes alterações físicas, alguns optam por procedimentos minimamente invasivos, mas que já podem garantir mais confiança e melhor autoestima. Dois pontos que, indiscutivelmente, podem ajudar na hora de garantir uma vaga no mercado de trabalho”, pontua a cirurgiã.


Você pode gostar
Publicidade