Siga o Jornal de Brasília

Saúde

Cirurgia de Hérnia está entre as mais realizadas no Brasil, com 281 mil procedimentos pelo SUS

Atualmente, as hérnias afetam entre 20% e 25% da população adulta no país e representam a cirurgia mais frequentemente realizadas por cirurgiões gerais

Em todo o Brasil foram realizadas 281.392 operações de hérnia da parede abdominal, entre março de 2018 e março de 2019, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sendo que do total apenas 1.745 (0,62%) foram de forma minimamente invasiva. 

O cenário é contrastante. No mesmo período, foram 11 mil cirurgias de hérnia feitas pelo SUS na região sudeste e 89 no nordeste. Apenas no Paraná foram 18,6 mil cirurgias de reparação de hérnias da parede abdominal, segundo o DataSus. Destas, apenas 318 (1,7%) foram feitas por videolaparoscopia

No mundo a cirurgia chega a 26 milhões de procedimentos realizados anualmente.

O presidente da Sociedade Brasileira de Hérnia da Parede Abdominal (SBH), Christiano Claus, afirma que para o paciente a cirurgia por vídeo ou minimamente invasiva possibilita uma recuperação mais rápida, assim como o retorno às atividades.

“Entre as vantagens da cirurgia por vídeo, comparado com a cirurgia aberta, estão menor tempo de internamento, diminuição do risco de infecção da ferida cirúrgica, menor dor pós-operatória e retorno mais rápido às atividades diárias”, afirma Claus

Para discutir o tema, cerca de 200 cirurgiões de todo o país se reúnem em Curitiba, entre os dias 06 e 08 de junho, na Universidade Positivo. O 4º Simpósio de Videocirurgia de Hérnias da Parede Abdominal (HerniaLap), terá novidades na área técnica, cirurgias ao vivo e demonstrações de cirurgia robótica.

“Os médicos que realizam cirurgia de hérnia possuem uma necessidade constante de atualização, devido a evolução de conceitos, técnicas e equipamentos”, afirma o vice-presidente da SBH, Marcelo Lopes Furtado.

NOVAS TECNOLOGIAS

Cerca de 200 cirurgiões estão reunidos em Curitiba para debater novas técnicas cirúrgicas para o reparo da hérnia da parede abdominal, entre elas, a cirurgia robótica.
De acordo com o diretor executivo da SBH, Gustavo Soares, o uso de robô permite ao cirurgião realizar procedimentos que, até então , eram muito complexos para serem feitos de forma minimamente invasivas.

“O robô permite realizar cirurgias complexas de forma efetiva, com segurança e bons resultados pós-operatórios”, afirma Gustavo Soares.

O robô permite ao cirurgião ampliar a visão em até 20 vezes. Para o paciente os benefícios são menor dor no pós-operatório bem como risco de infecção reduzido e recuperação mais rápida.

Para o diretor da SBH, Gustavo Soares, a técnica ainda não é amplamente utilizada devido aos altos custos. “O que era algo muito restrito há quatro anos, mais do que dobrou recentemente e não há dúvida de que a robótica é o futuro. Hoje, a discussão não está em torno de SE isso vai acontecer , mas sim QUANDO ela estará disponível para a maioria das pessoas.”, afirmou.

O QUE SÃO HÉRNIAS

A hérnia é um defeito ou um orifício nos músculos do abdome que permite que o intestino ou uma porção de gordura passe através dele. Ainda que hérnias possam ocorrer em muitos lugares no corpo humano, elas são mais comuns na parede abdominal.
“Elas podem ocorrer em qualquer idade, mas, atingem principalmente os adultos. Como trata-se de uma abertura na musculatura o tratamento é exclusivamente cirúrgico, com exceção da hérnia de hiato que pode ser tratada com medicamentos”, explica o presidente da Sociedade Brasileira de Hérnia, Christiano Claus.
As hérnias não desaparecem sozinhas e a única forma de curá-las é a cirurgia.

OCORRÊNCIA

Elas ocorrem principalmente na virilha (hérnia inguinal), no umbigo (hérnia umbilical) e no local onde foi realizada previamente uma cirurgia (hérnia incisional). Técnicas menos agressivas de tratamento e novos materiais cirúrgicos têm sido cada vez mais utilizados para melhorar os resultados e beneficiar os pacientes.

Esta é a cirurgia mais feita em homens no mundo, devido à incidência e facilidade de se fazer o procedimento.

SINTOMAS

Entre os sintomas também estão o aparecimento de uma “bolinha” ou ambulamento na pele da região da inguinal (virilha) ou próximo ao umbigo ou junto a cicatrizes, que desaparece quando o paciente se deita e reaparece quando se levanta; dor ou desconforto no local durante ou após exercício físico. Nos homens, a dor de uma hérnia inguinal pode irradiar para os testículos.

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA