fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Saúde

ANS abre consulta pública sobre inclusão de terapia contra LMA em planos de saúde

A análise econômica realizada foi um estudo de custo-efetividade que comparou o venetoclax com azacitidina, decitabina e baixa dose de citarabina

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A cada ano, surgem no Brasil por volta de 10.800 casos de leucemia, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Um dos tipos mais agressivos da enfermidade é a leucemia mieloide aguda (LMA): apenas 28% dos portadores sobrevivem pelo menos cinco anos.

Transfusões de sangue e internações são frequentes no tratamento da leucemia mieloide aguda (LMA), que é realizado com quimioterapia intensiva, que não é tolerável por parte dos pacientes, principalmente aqueles acima dos 60 – principal faixa de risco para LMA.

Por isso neste momento, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) está uma consulta pública aberta para analisar a inclusão de uma nova terapia, conhecida por venetoclax, no rol de medicamentos a serem oferecidos pelos planos de saúde.

A análise econômica realizada foi um estudo de custo-efetividade que comparou o venetoclax com azacitidina, decitabina e baixa dose de citarabina. Dentre os desfechos avaliados apresenta resultados favoráveis em relação as taxas de remissão completa e sobrevida global. O impacto orçamentário é justificado pelo benefício clínico trazido ao paciente e que apresenta grande potencial de redução de custos com transfusões e hospitalizações.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O medicamento está aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), DATA em processo rápido, para suprir uma necessidade de saúde não atendida. Os estudos existentes demonstraram relevantes taxas de resposta, com perfil de segurança tolerável e manejável.

O link para participar está disponível no site ANS até o dia 21/11.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade