fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

TJDFT determina penhora de bens de ex-mulher de Wassef

A penhora será de R$ 40 mil, para quitar dívidas referentes à partilha de bens entre Cristina Boner e seu primeiro marido, Bruno Basso

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) determinou a penhora dos bens da mansão da ex-esposa do advogado da família Bolsonaro Frederick Wassef. O imóvel de Maria Cristina Boner fica à beira do Lago Paranoá e tem 50 mil metros quadrados.

A penhora visa a quitação de uma dívida de R$ 40 mil relacionadas a uma partilha de bens entre Cristina e seu primeiro marido, Bruno Basso. O valor total do processo judicial gira em torno de R$ 200 milhões.

A juíza do MPDFT Grace Correa Pereira Maia determinou a penhora “sobre bens de elevado valor ou que ultrapassem as necessidades comuns correspondentes a um médio padrão de vida”.

Polêmicas

O nome de Cristina Boner voltou à tona após o assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, ser preso em Atibaia-SP, em imóvel pertencente ao ex-marido de Cristina, Frederick Wassef.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Contudo, Cristina, criadora da empresa Globalweb, é envolvida em alguns estraves judiciais. Em 2019, a empresária foi condenada por improbidade administrativa. Dez anos antes, foi flagrada na Operação Caixa de Pandora no Distrito Federal, porque a Globalweb teria patrocinado o mensalão do DEM em troca de contratos na área de informática.

A Globalweb faturou mais de R$ 41 milhões em cerca de 1 ano e meio no governo Bolsonaro. O valor é quase idêntico aos R$ 42 milhões gastos por Dilma e Temer de 2015 a 2018. Esta informação é do portal UOL.

Cristina tem outra empresa envolvida em escândalos. A B2BR é alvo da operação Lava Jato, suspeita de ter feito pagamentos às empresas de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade