fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Temer aprova governo Bolsonaro até então

Ex-presidente aprova atual gestão pela sequência à reforma da Previdência. Temer classifica como ‘decepção’ índices baixos de aprovação a Bolsonaro

Willian Matos

Publicado

em

PUBLICIDADE

Da redação
redacao@grupojbr.com


O ex-presidente Michel Temer elogiou e aprovou o governo de Jair Bolsonaro (PSL). Segundo Temer, o fato de a atual gestão dar continuidade ao programa de reforma da Previdência e à proposta de reforma tributária faz o governo Bolsonaro bem-sucedido.

“Eu me recordo, quando presidente da República, eu dizia: ‘olha, será bem sucedido o presidente que der sequência àquilo que estou fazendo’. Do jeito que as coisas vão indo, o governo vai bem, porque está dando sequência ao nosso governo”, disse, em entrevista à BBC News Brasil.

Temer comentou sobre os baixos índices de aprovação do governo Bolsonaro e classificou como ‘decepção’. “É decepção, né… É natural essa decepção. Toda vez que alguém chega ao governo, chega dando muita esperança, as pessoas esperam muito. A gente não pode pautar-se apenas pela popularidade, e convenhamos, falando de mim, se fosse pautar-me pela minha popularidade, eu não teria feito as reformas que o país precisa. A questão da popularidade não significa que o governo está bem ou está mal. O governo precisa agir, ir pra frente.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Temer também citou programas criados pelos governos do PT, de luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Eu digo com toda a franqueza, o governo Lula fez, digamos assim, que os mais pobres, que eram praticamente invisíveis, se tornassem visíveis – por meio do Bolsa Família, depois, com a presidente Dilma, com o Minha Casa Minha Vida. Que na verdade, são meros cumprimentos do que estabelece a Constituição Federal”, disse Temer na entrevista.

Maia

Temer também destacou a atuação do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Para o ex-presidente, Maia “colabora muito.” “Veja que no caso da Previdência Social, quem acabou tomando as rédeas foi o próprio presidente da Câmara (o deputado federal Rodrigo Maia). E o que eu fiz? Logo que cheguei, eu até rotulava o meu governo como semipresidencialista, porque eu chamei o Congresso Nacional para trabalhar comigo. E por isso que nós conseguimos essas reformas todas”, disse o ex-presidente. “Ele colabora muito. E colaborou muito comigo”, elogiou.




Leia também
Publicidade