fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Sara Winter é alvo de investigação por improbidade administrativa

MPF vai investigar o uso do fundo partidário nas eleições de 2018. Além de ser alvo do Ministério, Sara Winter também é investigada pelo STF no inquérito das fake news

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A ativista bolsonarista Sara Fernanda Giromini é alvo do Ministério Público Federal (MPF) do Rio de Janeiro. O órgão abriu investigação para apurar se houve irregularidade no uso de R$ 25 milhões do fundo eleitoral nas eleições de 2018. A informação é do jornal O Globo.

Sara Winter, como se denomina, foi candidata à deputada federal no Rio pelo DEM, mas acabou não eleita. A ativista não prestou contas no final das eleições, como a legislação exige. Sara teria apresentado apenas os comprovantes de transferência bancária, mas não mostra comprovantes e notas fiscais de prestação de serviços contratados.

Por isso, a Justiça Federal rejeitou a prestação. O TRE-RJ confirmou esta rejeição de contas em julgamento em 21 de agosto de 2019 e determinou que Sara devolveu os R$ 25 mil recebidos do fundo eleitoral.

Procurada, a defesa de Sara Winter não foi localizada para manifestar respeito ao assunto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Fake news

Sara Winter também é investigada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no chamado inquérito das fake news.  A ativista é acusada de usar de informações falsas para atacar o Supremo e demonstrar apoio ao presidente Jair Bolsonaro. No mês passado, a Polícia Federal fez buscas na residência dela.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade