Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

PTistas já estão na porta da PF à espera da soltura de Lula

Na tarde desta sexta-feira (8), o juiz Federal Danilo Pereira Júnior expediu o mandado de soltura do ex-presidente Lula

Publicado

em

Foto: Divulgação/Ricardo Stuckert
Publicidade

Aline Rocha
redacao@grupojbr.com

Na tarde desta sexta-feira (8), parlamentares do Partido dos Trabalhadores (PT) já comemoram a liberdade do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. A informação de Célio Moura (PT-TO) é de que o juiz da 12ª Vara de Execuções Penais de Curitiba, Danilo Pereira Júnior, afirmou que vai conceder a soltura do petista ainda hoje. 

Segundo levantamento do Ministério Público do Paraná, ao menos 38 réus devem ser beneficiados pela decisão. A deputada Erika Kokay também se pronunciou conforme a fala de Célio Moura. Confira: 

O advogado de Lula, Cristiano Zanini, concedeu coletiva de imprensa nesta tarde e afirmou que “agora vamos aguardar”. “Pedimos urgência, que houvesse celeridade no pedido, mas isso depende exclusivamente do magistrado”. 

Veja a fala de Zanini: 

AO VIVO: Coletiva de imprensa com os advogados de Lula #LulaLivreJá

Posted by Lula on Friday, November 8, 2019

Reviravoltas

A vida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é marcada por reviravoltas imprevisíveis que costumam se confundir com as da história do Brasil.

– 27 outubro de 1945: Nasce em uma família de agricultores pobres do nordeste, que emigra quando ele tinha 7 anos para o estado de São Paulo para tentar escapar da fome.

– 1975: Presidente do sindicato de metalúrgicos, setor onde trabalha desde os 14 anos.

– 1978-80: Lidera grandes greves no ABC paulista em plena ditadura (1964-1985) e é preso por um mês por seu papel no sindicato.

– 1980: Participa da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT) e ajuda a criar a Central Única de Trabalhadores (CUT), que se torna a maior federação operária do Brasil.

– 1º de janeiro de 2003: Primeiro presidente brasileiro de origem operária. Reeleito em 2006, termina seu mandato em 2010 com mais de 80% de aprovação. Graças a seus programas sociais, 29 milhões de brasileiros saem da miséria, apesar de o país continua sendo muito desigual.

– 2005: a direção do PT é dissolvida depois do escândalo do “Mensalão”.

– 4 de março de 2016: o juiz Sergio Moro ordena a condução coercitiva de Lula para prestar depoimento no marco da operação Lava Jato.

– 12 julho de 2017: Moro o condena a nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, como beneficiário de um apartamento no balneário paulista do Guarujá oferecido pela construtora OAS em troca de sua mediação para obter contratos na Petrobras.

– Janeiro de 2018: Um tribunal de segunda instância (TRF4) eleva a pena a 12 anos e um mês de prisão.

– 7 de abril de 2018: Dois dias depois que Moro ordenar sua prisão, Lula se entrega à polícia no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e começa a cumprir sua sentença em Curitiba (sul).

– 31 de agosto de 2018: O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) invalida sua candidatura para as eleições presidenciais de outubro. No dia 11 de setembro, Lula é substituído por Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, como candidato do PT. Haddad é derrotado no segundo turno por Jair Bolsonaro.

– 23 de abril de 2019: O Superior Tribunal de Justiça (STJ, terceira instância) confirma o veredito contra Lula, mas reduz sua pena para 8 anos e 10 meses de prisão.

– 7 de novembro de 2019: O Supremo Tribunal Federal (STF) decide, por 6 votos a 5, que ninguém pode ser preso antes de esgotar os recursos nas quatro instâncias judiciais existentes no Brasil. Essa decisão abre caminho para a libertação iminente de Lula e ao exame da situação judicial de cerca de 5.000 pessoas, incluindo cerca de 40 implicados em casos investigados pela Operação Lava Jato.

Com informações de agências


Você pode gostar
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *