Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

PSL pode decidir sobre os comandos dos diretórios estaduais de SP, RJ e MG

Segundo Major Olimpio (PSL-SP), apenas processos de suspensão devem ser analisados nesta terça e as possíveis expulsões ficarão para um segundo momento

Publicado

em

Publicidade

Além de instituir o Conselho de Ética e iniciar o processo de suspensão de 19 parlamentares, o PSL pode ainda decidir nesta terça-feira, 22, sobre o comando dos diretórios estaduais de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, atualmente nas mãos do deputado Eduardo Bolsonaro (SP), do senador Flávio Bolsonaro (RJ) e do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, respectivamente. Segundo o ex-líder da bancada do PSL na Câmara, Delegado Waldir (PSL-GO), a troca do comando desses três diretórios pode ser definida ainda hoje.

O partido realiza uma reunião da sua Executiva Nacional para instituir o Conselho de Ética do partido e para a abertura de processos de suspensão de 19 deputados. Esses parlamentares, todos da ala ligada ao presidente da República Jair Bolsonaro, foram notificados na segunda-feira, 21. O partido chegou a enviar uma notificação para o atual líder da legenda, o deputado Eduardo Bolsonaro, mas o gabinete do parlamentar não recebeu a documentação.

Segundo o senador Major Olimpio (PSL-SP), apenas processos de suspensão devem ser analisados nesta terça e as possíveis expulsões ficarão para um segundo momento. Ele mais uma vez criticou a interferência do Palácio do Planalto na disputa pela liderança da bancada na Câmara. “Envolver o presidente (Jair Bolsonaro) na disputa foi péssimo”, disse ao chegar à reunião. “Ficou claro que o Eduardo só leva no tapetão”, afirmou.

Olimpio, que é ex-presidente do diretório estadual de São Paulo do PSL, defende que Eduardo seja tirado do comando do diretório paulista desde já. Ele acredita que, se o PSL decidir esperar o fim do mandato em 31 de dezembro, isso poderá comprometer as candidaturas do partido para 2020.

Terceira via

O ex-líder da bancada deputado Delegado Waldir admitiu que o partido estuda um terceiro nome para assumir a bancada do PSL na Câmara. Na segunda ele divulgou um vídeo entregando a liderança. Ele não chega a citar um nome nesse vídeo. “Eu não falo porque havia o diálogo como o ministro da Secretaria de Governo Luiz Eduardo Ramos de que nós iríamos para uma terceira via”, disse. Segundo Waldir, ainda não havia um nome, mas seria alguém da ala ligada ao presidente do partido, Luciano Bivar (PE). “Mas aí, Vitor Hugo (PSL-GO) foi lá e atropelou”, afirmou.


Você pode gostar
Publicidade