fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Polícia investiga se Wassef registrou casa como escritório para proteger Queiroz

Segundo uma notícia-crime, a casa consta como sede do escritório que o advogado tem com uma prima, mas ela nunca apresentou o imóvel como endereço profissional

Avatar

Publicado

em

Foto: Nelson Almeida/AFP
PUBLICIDADE

A Polícia Civil de São Paulo investiga se o advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, registrou sua casa em Atibaia-SP como escritório para proteger o ex-assessor de Flávio Bolsonaro Fabrício Queiroz. A informação é do site O Antagonista.

A suspeita é de falsidade ideológica. O inquérito foi aberto com base em notícia-crime apresentada pela filha do filósofo Olavo de Carvalho, Heloísa de Carvalho, e pelo ativista LGBT Bruno Maia.

De acordo com a notícia-crime, a casa consta como sede do escritório Wassef e Sonnenburg Advogados, uma sociedade entre Wassef a prima dele Solveig Sonnenburg. No entanto, ela nunca apresentou o imóvel como endereço profissional, segundo a denúncia.

Desta forma, “o escritório de advocacia em Atibaia servia apenas para dar inviolabilidade a um endereço residencial onde habitava pessoa investigada pela prática de sérios crimes. e co-investigada de cliente do Dr. Frederick, senador Flávio Nantes Bolsonaro”, aponta a denúncia. Leia um trecho:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Imagem obtida pelo site O Antagonista

Prisão

Após mais de um ano “sumido”, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Fabrício Queiroz, foi preso no dia 18 de junho, no escritório de Wassef. Queiroz é acusado de operar um esquema de rachadinha com salários de ex-assessores do gabinete da Alerj.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade