fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

PDT suspende Tabata e mais sete por votos pró-reforma da Previdência

Eles responderão processo administrativo na Comissão de Ética da sigla, que prevê uma decisão em até 60 dias

Lindauro Gomes

Publicado

em

PUBLICIDADE

A deputada federal Tabata Amaral (SP) e outros sete parlamentares do PDT foram suspensos do partido por terem votado a favor da reforma da Previdência no 1º turno de votação da proposta na Câmara. 

A Executiva Nacional do partido se reuniu nesta quarta-feira, 17, para debater os votos contrários à orientação do PDT, que havia fechado questão contra a reforma. “Por decisão da maioria, os deputados também estão com suas representações partidárias suspensas até que o processo seja concluído – o que pode demorar até 60 dias”, informou a sigla.

De acordo com o presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, a decisão do Diretório Nacional é soberana e representa todas as instâncias partidárias. “O diretório nacional decidiu. Temos uma proposta paralela que Ciro (Gomes, candidato do partido à Presidência em 2018) está nos ajudando a levar a todos os cantos do Brasil e que achamos que seja uma reforma justa. Todos tiveram todas as instâncias partidárias para discutir, apresentar propostas”.

Lupi sinaliza que pode haver “evolução” nos casos de Tabata e dos outros deputados – já que a reforma ainda será votada em 2º turno na Casa, em agosto. “É importante lembrar também que ainda terá uma segunda votação na Câmara, em agosto. O ser humano vive da evolução. E acho que todos podem evoluir durante esse processo.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Tabata não comentou a suspensão. Após votar a favor da reforma, ela disse: “A reforma que hoje votamos não pertence mais ao governo; ela sofreu diversas alterações feitas por esse mesmo Congresso. O sim que digo à reforma não é sim ao governo e também não é um não a decisões partidárias. Meu voto é um voto de consciência”.

A Comissão de Ética do partido, que conta com cinco membros permanentes e mais três suplentes, inicia nesta quarta o processo disciplinar e garante que todos terão amplo espaço de defesa. Depois, um relatório será encaminhado à Executiva Nacional da legenda, que por sua vez, levará ao pleno do Diretório Nacional.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além de Tabata, votaram a favor da reforma e estão suspensos do PDT os deputados Alex Santana (BA), Flávio Nogueira (PI), Gil Cutrim (MA), Jesus Sérgio (AC), Marlon Santos (RS), Silvia Cristina (RO) e Subtenente Gonzaga (MG).

Ciro critica reforma aprovada em 1º turno

Sem citar a decisão do PDT ou os deputados favoráveis à reforma da Previdência, Ciro Gomes publicou nesta quarta, 17, uma sequência de tuítes em que critica a reforma aprovada em 1º turno na Câmara. “Esta reforma é péssima tecnicamente porque não resolve nem remotamente o problema da previdência. Todos verão que o efeito fiscal dela para este governo será perto de zero e que agravará a depressão econômica em que estamos atolados.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao Estadão, nesta semana, Ciro disse que Tabata faz “dupla militância” e defendeu que ela e os outros sete deputados saíssem espontaneamente do PDT. “Ninguém pode servir a dois senhores”, disse, lembrando que ele próprio trocou sucessivas vezes de partido. “Eu acho que o mais digno é fazer o que eu fiz Fui filiado e ajudei a fundar o PSDB, que tinha um programa lindo, que tinha uma série de propostas muito sérias, foi para o governo e fez o oposto. Chafurdou na corrupção, nas privatizações, na roubalheira. O que fiz? Saí.”

 

Estadão Conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade