fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Onyx diz que previsão é de mais de 330 votos a favor da reforma da Previdência

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS) se licenciou nesta terça do cargo para votar a reforma da Previdência na Câmara

Lindauro Gomes

Publicado

em

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
PUBLICIDADE

Enquanto o plenário debate vaquejadas e rodeios, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), participa uma reunião no gabinete do primeiro vice-presidente da Casa, Marcos Pereira (PRB-SP), que esteve nesta terça-feira, 9, mais cedo com o presidente Jair Bolsonaro.

Também estão presentes no encontro o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS) – que se licenciou nesta terça do cargo para votar a reforma da Previdência -, e o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite. Ao chegar ao gabinete de Pereira, Onyx disse que a sua previsão é de mais de 330 votos favoráveis à reforma. São necessários 308 votos para aprovar o texto em 1º turno.

O líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (GO), e a deputada Bia Kicis, (PSL-DF) também participam da reunião. Ao chegar ao gabinete de Pereira, a deputada levou um tombo, e foi socorrida pelo ministro Onyx.

Há a possibilidade de que o PRB de Pereira encabece a apresentação de um destaque à reforma para sejam feitas mudanças nas regras do cálculo dos valores das aposentadorias para mulheres em relação ao tempo de contribuição.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na proposta atual, com 20 anos de contribuição, o benefício será de 60% da média salarial de contribuição, subindo dois pontos porcentuais para cada ano a mais de trabalho. A bancada feminina pede que a regra dos dois pontos seja aplicada a partir dos 15 anos de contribuição para as mulheres, já que, para elas, a reforma prevê que o tempo mínimo de contribuição é de 15 anos, e não 20, como no caso dos homens.

 

Estadão Conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade