Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Novo apresentará PL para resgatar pontos da MP da Liberdade Econômica

Essa previsão estava no projeto de conversão da Medida Provisória de Liberdade Econômica, mas acabou ficando de fora

Publicado

em

O Partido Novo irá apresentar projeto de lei que visa proteger o patrimônio do empreendedor, como, por exemplo, em casos de falência da empresa, disse ao Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o líder da sigla, Marcel Van Hattem. Essa previsão estava no projeto de conversão da Medida Provisória de Liberdade Econômica, mas acabou ficando de fora. 

O texto-base da MP foi aprovado na terça-feira pelos deputados. O Novo tentou retomar o tema através dos destaques que estão sendo analisados nesta quarta-feira (14) pelo plenário, mas orientou pela rejeição da matéria para agilizar a votação. 

“A preocupação é que passe do limite do patrimônio da empresa e passe a entrar no patrimônio do empreendedor eventual responsabilização”, disse Van Hattem. Um dos artigos prevê que a pessoa jurídica não se confunde com os seus sócios, associados, instituidores ou administradores. Outro define que a autonomia patrimonial da pessoa jurídica só pode ser desconsiderada para impedir que a sua manipulação fraudulenta cause prejuízo à aplicação da lei ou a credor. 

O projeto de lei também deve prever a possibilidade de sociedade limitada emitir debêntures em oferta privada – outro ponto que estava previsto no projeto de conversão da MP. A ideia é apresentar o projeto de lei ainda nesta semana. 

“Nem sempre o empreendedor consegue acertar na primeira tentativa, eventualmente se o negócio dele vai mal, e ele tem um processo de falência, não podemos condenar o empreendedor para o resto de sua vida ficar pagando dívidas”, disse o deputado Alexis Fonteyne (Novo-SP).

Câmara rejeita destaque sobre registro de ponto por exceção

O plenário rejeitou por 304 votos contra e 124 a favor o terceiro destaque do PT à Medida Provisória da Liberdade Econômica. O partido tentou retirar do texto a possibilidade de registro de registro de ponto por exceção, ou seja, o trabalhador só tem que bater o ponto quando entrar ou sair fora de seu horário regular.

Está em análise agora o último destaque do PSC que retorna com a possibilidade de que, em processos de falência alcance os sócios de forma automática. Havia ainda um do Solidariedade na fila que foi retirado.

O texto-base da MP foi aprovado na terça-feira por 345 a favor e 76 contra. A medida perde a validade no dia 27 de agosto.

Estadão Conteúdo.


Você pode gostar
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Publicidade