fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Maia diz concordar com Guedes em não prorrogar auxílio

“A posição da presidência da Câmara é a mesma”, disse o presidente da Cãmara, pelo Twitter

Avatar

Publicado

em

Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feira (7) que concorda com o ministro da Economia, Paulo Guedes, em não prorrogar o estado de calamidade no país e o auxílio emergencial.

Pelo Twitter, Maia compartilhou uma matéria com a fala de Guedes e disse: “A posição da presidência da Câmara é a mesma.”

O auxílio emergencial foi criado originalmente para durar três meses (tendo como base os meses de abril, maio e junho). Depois, o governo prorrogou por duas parcelas (julho e agosto) por meio de um decreto. Para essas prestações, cada parcela foi de R$ 600. Depois, em mais uma prorrogação, até dezembro, o benefício foi reduzido para R$ 300. Ao todo, o pagamento de todas as parcelas do auxílio emergencial está estimado em R$ 321,8 bilhões neste ano.

Com agências



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade