fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Justiça do Rio ordena que Facebook e Twitter apaguem ofensas a Marielle

Na decisão, a juíza Renata Gomes Casanova entendeu que tais publicações ultrapassam a liberdade de manifestação do pensamento

Avatar

Publicado

em

Foto: Agência Brasil
PUBLICIDADE

A 49ª Vara Cível do Rio de Janeiro determinou que o Facebook e o Twitter apaguem publicações ofensivas à memória da vereadora Marielle Franco, assassinada em 2018. As empresas têm 24 horas para retirar postagens que simulam segurar a cabeça de Marielle, uma vez que a Justiça entendeu que os posts demonstram discurso de ódio.

Na decisão, a juíza Renata Gomes Casanova entendeu que tais publicações ultrapassam a liberdade de manifestação do pensamento. “Tais manifestações revelam escarnecimento com o assassinato de um ser humano e constituem agressão à dor da família, em ato de verdadeiro bullying virtual.”

Ao todo, são 12 publicações no Facebook e uma no Twitter. Os posts deverão ser apagados, mas os links serão mantidos e guardados para eventual direito de indenização. A família de Marielle, que entrou com a ação, pede a identificação dos IPs dos usuários responsáveis por cada publicação e outras informações relacionadas.

Ao jornal O Globo, a irmã de Marielle, Anielle Franco, parabenizou a juíza pela decisão. “A justiça brasileira tem um papel fundamental na fiscalização e combate estas políticas de ódio que ultrapassam o direito à liberdade de expressão e fomentam o racismo, machismo e LGBTfobia nas redes”, destacou Anielle.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade