Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

“Pego um avião e vou morar lá fora”

Paulo Guedes ameaça deixar o governo e o país caso nova Previdência não seja aprovada

Da redação
[email protected]

O ministro da Economia, Paulo Guedes, acredita que há uma tentativa da oposição de barrar a reforma da Previdência. Segundo Guedes, eles temem o sucesso da reforma e, consequentemente, do governo Bolsonaro. Isso tem incomodado o ministro. Incomodado a ponto de fazê-lo pensar em deixar o governo e o país caso a proposta não seja aprovada.

“Pego um avião e vou morar lá fora. Já tenho idade para me aposentar”, disse Guedes, nesta sexta-feira (24), em entrevista à Veja. “Se só eu quero a reforma, vou embora para casa”, completou.

Ele disse se negar a aprovar um texto que esteja próximo a uma “reforminha” e acusou a oposição de querer barrar o sucesso do governo Bolsonaro. “Também não adianta quando o Paulinho [da Força, deputado federal do Solidariedade] fala assim: ‘Vamos fazer uma reforma pequenininha para o presidente não ficar’. Paulinho estava falando o que muitos pensam. Ou seja, ele sabe que a reforma da Previdência vai resultar em prosperidade ao Brasil e que o presidente pode se beneficiar politicamente disso”, continuou.

Guedes usou de exemplos para justificar a importância da reforma.
“O Brasil, que tem 13% de idosos em sua população, já gasta mais com Previdência que o Japão, que terá daqui a uns anos 40% de idosos. […] Um dos grandes problemas da Previdência é que ela é uma fábrica de desigualdades, uma máquina perversa de transferência de renda. Tira-se de quem tem menos e passa-se para quem tem mais. Hoje, 83% dos aposentados brasileiros ganham menos de dois salários mínimos. A pessoa que trabalha no Legislativo ganha cerca de vinte vezes mais que a média do INSS. O que estamos propondo é fechar essa fábrica de privilégios. Lá na frente, a empregada doméstica e a patroa vão se aposentar no mesmo regime”, respondeu.

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA