fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Eleições 2020: revolta na tribo dos Calheiros

O senador e presidente estadual do MDB, Renan Calheiros, tenta impedir candidatura de vice-governador e racha partido em Alagoas

Lucas Valença

Publicado

em

Foto: Marcio Ferreira: Agência Alagoas
PUBLICIDADE

Em uma atuação conjunta com o governador de Alagoas, Renan Filho, o senador Renan Calheiros usou a presidência do MDB estadual para tentar impedir a candidatura do vice-governador, Luciano Barbosa, à prefeitura de Arapiraca, segundo município mais populoso do estado.

A disputa entre os caciques emedebistas chamou atenção na região depois que todo o diretório do MDB da cidade foi suspensa por ter chancelado o nome de Barbosa para concorrer ao pleito deste ano.

Depois que a candidatura do vice-governador do estado, Luciano Barbosa, foi aceita de forma unânime pelo diretório municipal no dia 15 de setembro, o senador Renan Calheiros, atual presidente da sigla em âmbito estadual, convocou uma reunião de emergência da legenda que decidiu, por aclamação e com 39 votos, cassar o mandato de todo o diretório municipal do MDB de Arapiraca.

Sobre a convenção municipal, no entanto, que decidiu por endossar a candidatura do vice-governador e ex-prefeito da cidade, o agora presidente afastado do MDB municipal, José de Macedo, ressaltou que a “convenção ocorreu dentro dos limites legais e continua valendo”. O afastamento de Macedo quebra um ciclo de 15 mandatos do político à frente do diretório emedebista de Arapiraca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com a suspensão do diretório municipal, coordenado pelo senador Renan Calheiros, a legenda em âmbito estadual chegou a nomear uma comissão provisória de cinco membros que passaram a coordenar a liderança partidária em Arapiraca, cidade alagoana com cerca de 230 mil habitantes, segundo dados divulgados em 2019 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Só que mesmo com a intervenção do senador e diretório estadual, Luciano Barbosa continua na disputa, mas com a atual candidatura sob judice. Há uma confiança, no entanto, dos advogados do vice-governador, de que o Judiciário considere legal o nome do político no pleito deste ano, já que a chapa chegou a ser referendada pelo colegiado partidário do município antes da interferência superior.

Vale ressaltar que, na ânsia de inviabilizar a candidatura de Barbosa, o MDB poderá deixar de lançar um candidato à segunda maior cidade do estado nordestino, caso a justiça decida em favor da manobra do senador. O atual candidato aparece em segundo lugar nas pesquisas de opinião para a prefeitura do município.

Conflito recente

A polêmica gerada pelo veto à candidatura do vice-governador decorre da intenção futura do senador Calheiros em lançar o atual governador de Alagoas, Renan Filho, ao Senado Federal em 2022.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A ideia seria manter Barbosa no atual cargo do governo local para fortalecer a candidatura do filho e garantir um “apoio incondicional”, já que o então aliado da família, Luciano Barbosa, assumiria o posto de Chefe do Executivo do estado por cerca de oito meses, enquanto Renan Filho disputa a cadeira no Congresso Nacional ao lado do pai.

O Jornal de Brasília procurou o contato com o gabinete do senador Renan Calheiros (MDB/AL), mas não obteve êxito no contato. A reportagem, no entanto, se coloca à disposição para futuras manifestações.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade