fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Eduardo Bolsonaro visita Casa Branca a convite da filha de Trump

Eduardo está no período de recesso parlamentar. Ele estava acompanhado na audiência pela mulher, Heloisa, e pelo embaixador do Brasil nos EUA, Nestor Forster

Avatar

Publicado

em

Foto: reprodução
PUBLICIDADE

Ricardo Della Coletta

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, realizou na segunda-feira (4) uma visita à Casa Branca, em Washington, a convite de Ivanka Trump.

A ida do parlamentar à Casa Branca ocorre dias antes da posse do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden –e, portanto, do fim do mandato do pai de Ivanka, Donald Trump.

A chegada do democrata ao governo dos Estados Unidos preocupa assessores no Palácio do Planalto, que preveem o aumento da pressão americana contra a política ambiental e de direitos humanos de Bolsonaro, entre outros temas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Eduardo está no período de recesso parlamentar. Ele estava acompanhado na audiência pela mulher, Heloisa, e pelo embaixador do Brasil nos EUA, Nestor Forster. O casal levou ainda a filha bebê, Geórgia, nascida em outubro do ano passado.

A passagem do parlamentar pela Casa Branca foi registrada pela GloboNews.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com a derrota de Donald Trump em novembro, autoridades do governo Bolsonaro passaram a manifestar, reservadamente, preocupação com a proximidade de aliados do mandatário brasileiro com o líder americano.

Bolsonaro disse durante a campanha que torcia por Trump e, depois do pleito, fez eco às acusações do republicano de que as eleição tinham sido fraudadas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A presença de Eduardo Bolsonaro num evento promovido pela filha de Trump não foi a única demonstração de proximidade com o governo americano na segunda (4).

O chanceler Ernesto Araújo respondeu a uma publicação do secretário de Estado, Mike Pompeo, e disse que “patriotas americanos e brasileiros permanecerão lado a lado”. “Secretário Pompeo, sua visão, coragem e dedicação a ideia que valorizamos são uma verdadeira bênção”, disse Ernesto. “Nós sabemos que a liberdade está em jogo no mundo inteiro”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>

Ernesto comentou uma mensagem publicada nas redes sociais de Pompeo, que classificou o diplomata brasileiro como um ministro das Relações Exteriores que ama a liberdade.

Ele foi escolhido embaixador após a tentativa fracassada de Eduardo para ser indicado para o posto, mas sua sabatina e confirmação pelo Senado ficou em compasso de espera por conta da pandemia de Covid-19.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com a aprovação do Senado em setembro, Forster ainda dependia da aceitação das suas cartas credenciais pelo governo americano para dar oficialmente início à sua missão em Washington.

Normalmente as cartas são aceitas em cerimônia com o presidente Trump. Mas, de acordo com a embaixada do Brasil em Washington, a aceitação das credenciais de Forster ocorreu de forma remota, em razão do período de transição de poder.

Outros embaixadores estrangeiros estavam na mesma situação e a acreditação era necessária, entre outros motivos, para permitir que eles fossem convidados para os atos da posse de Biden.

As informações são da Folhapress

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade