fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

“Dilmou”: Bolsonaro se enrola ao defender cloroquina, e internautas zoam

Presidente quis rebateu o fato de o medicamento não ser comprovadamente eficaz contra o coronavírus, mas acabou formulando frases sem sentido

Willian Matos

Publicado

em

PUBLICIDADE

O presidente Jair Bolsonaro deu uma declaração confusa quanto ao uso da hidroxicloroquina. Ao tentar rebater o fato de que o medicamento não é eficaz no combate ao novo coronavírus, Bolsonaro acabou por falar duas frases sem sentido.

“Ah, não tem comprovação científica de que seja eficaz, mas também não tem comprovação científica de que não seja eficaz. Nem que não tem, nem que tem”.

A declaração foi dada em uma live na noite de quinta. Veja o vídeo:

A declaração logo viralizou. Internautas passaram a comparar a declaração com uma fala da ex-presidente Dilma Rousseff. À época, Dilma disse: “Não acho que quem ganhar ou quem perder, nem quem ganhar nem perder vai ganhar ou perder. Vai todo mundo perder”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

No entanto, outros usuários acreditam que a comparação seja inválida. Isso porque Bolsonaro estaria promovendo um remédio sem eficácia contra uma doença que colocou o país em uma pandemia.

Medicação

Na semana passada, Bolsonaro afirmou que testou positivo para o novo coronavírus. Disse também que, desde que começou a sentir os sintomas, no último fim de semana, tem tomado hidroxicloroquina e ivermectina. O presidente alega que se sente bem, e que percebeu melhora no quadro de saúde após se medicar com as drogas.

Em um novo exame, feito na última terça (14), Bolsonaro testou positivo para a covid-19 novamente. O presidente segue isolado, no Palácio da Alvorada.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade