Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Deputados depõem na Decap e saem sem falar com os jornalistas

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Em carros com vidros escuros e abaixados nos bancos. Foi assim que a maioria dos deputados distritais saiu da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Administração Pública (Decap), na manhã desta terça-feira (23). Os distritais foram ouvidos pelo Ministério Público do DF e pela Polícia Civil, que deflagrou a Operação Drácon para apurar um esquema de distribuição de propina entre os membros da Mesa Diretora da Câmara Legislativa.

O promotor Clayton Germano disse que nem todos falaram. “Alguns usaram o direito de ficar calado”, disse, na saída da delegacia. Era um promotor para ouvir cada envolvido – os deputados distritais Celina Leão (PPS), Raimundo Ribeiro (PPS), Julio César (PRB), Bispo Renato (PR) e Cristiano Araújo (PSD), além do servidor Alexandre Cerqueira, apontado como operador do esquema.

O advogado de Cerqueira, Marcelo Moura, disse que ele falará apenas quando conhecer a denúncia. “Ele não cometeu nenhum ato ilícito e vai depor no momento oportuno, quando tiver acesso às provas”, afirmou.

bispo renato

O deputado Bispo Renato também ficou calado, durante o depoimento. Segundo o advogado dele, José Francisco Fyschinger, o distrital falará somente quando tiver acesso à acusação. Apenas Raimundo Ribeiro foi o único que entrou e saiu dirigindo o próprio carro e fumando.

 

Leia mais: Após operação, suplentes assumem Mesa Diretora da CLDF

Polícia realiza busca e apreensão na CLDF e Justiça determina afastamento de toda Mesa Diretora

 


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade