Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Deltan sondou se condenado pela Lava Jato poderia ser solto

“Cazarré, tem como sondar se absolverão Assad? Parece que o Gebran tava tendendo a absolver…”, comentou o coordenador

Willian Matos
[email protected]

O coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, teria conversado com o desembargador João Pedro Gebran Neto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), se fechariam acordo de delação premiada com o operador do esquema de pagamento de propinas na Petrobras, Adir Assad. Gebran julgaria casos da Lava Jato em Segunda Instância.

O diálogo foi veiculado em novas conversas divulgadas pela revista Veja em parceria com o site The Intercept Brasil. Enquanto a discussão acontecia, Gebran preparava voto para a apelação de um dos processos de Assad, condenado pela Lava Jato por lavagem de dinheiro. “Tenho dúvidas [da delação]. Tem que ver o que ele fala… pelo o que você disse, ele não falava nada. O Gebran tá fazendo o voto e acha provas de autoria fracas em relação ao Assad”, disse Dallagnol.

Em uma outra conversa, o procurador Carlos Augusto da Silva Cazarré teria dito que o processo estava prestes a ser julgado na segunda instância. Dallagnol, então, pediu a ele que sondasse se os desembargadores absolveriam Assad.

“Cazarré, tem como sondar se absolverão Assad? Parece que o Gebran tava tendendo a absolver… se for esse o caso, talvez fosse melhor pedir para adiar/agilizar o acordo ao máximo para garantir a manutenção da condenação”, disse Deltan, pelo Telegram. Cazarré respondeu: “Olha, quando falei com ele, há uns dois meses, não achei que fisse [fosse] absolver… Acho difícil adiar”.

Confira imagens das conversas:

Você pode gostar
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *