fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Com paródias contra assédio, máscara e até no videogame: políticos estão curtindo o carnaval

Políticos aproveitaram a folia para divulgar mensagens contra o preconceito e empoderamento feminino nos quatro cantos do País

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Carnaval é tempo de folia, mas também de política, ao menos nos redutos eleitorais dos deputados. Com o Congresso em recesso até a próxima quinta, 27, parlamentares aproveitaram a folga estendida para se mostrar a eleitores e ainda reforçar suas posições ideológicas.

“Sambando na cara do machismo”, a deputada Tabata Amaral (PDT-SP) começou uma das suas muitas postagens nas redes sociais neste carnaval. Pelo Instagram, foi possível acompanhar a parlamentar circulando pelos blocos da capital paulista distribuindo adesivos com mensagens de combate ao assédio sexual contra as mulheres.

A deputada, uma das caras da chamada ‘nova política’, ainda dançou, cantou e fez paródias com hits da moda. “Maquiagem tá ok. Sobrancelha tá ok. Adesivo tá ok”, cantou, em referência ao funk Brota no Bailão pra Desespero do seu Ex.

Em Recife, o namorado de Tabata, o deputado João Campos (PSB-PE), mostrou imagens do Galo da Madrugada, um dos blocos mais tradicionais de Pernambuco, e dançou ao lado dos cordeiros. Nas redes sociais da namorada, João aparece colando um adesivo no braço em que é possível ler uma mensagem contra assédio: “Ela brinca com quem quer”.

A iniciativa do pernambucano rendeu elogio nas redes sociais de Tabata. “O meu crush é feminista (só tá um pouco longe)”, escreveu ela.

Também em Pernambuco, o deputado Túlio Gadelha (PDT-PE) foi atração no Bloco da Lama, que faz uma homenagem ao movimento Manguebeat, e também desfilou mascarado pelas ladeiras de Olinda. Gadelha fez vídeos com uma máscara comprada no Peru que faz alusão aos Collas, povos anteriores aos Incas. “Povos originários da América Latina”, escreveu ele no Instagram.

A deputada Sâmia Bonfim (PSOL-SP) manteve o tom político também durante a folia. Ela saiu com um grupo de amigas levando na cabeça adereços em menção ao Trotskismo (doutrina marxista baseada nos escritos do político e revolucionário ucraniano Leon Trótski). “Bela, antifascista e do carnaval”, escreveu.

Outros brincaram com os personagens escolhidos pelos foliões em blocos de rua. Foi o caso de Paulo Ganime (Novo-RJ), que tirou foto ao lado de um “fantasma do comunismo”.

E olha que mesmo os representantes da bancada evangélica já desfilaram nesse carnaval. Mas com responsabilidade. O pastor Sargento Isidório (Avante-BA), por exemplo, caminhou pelas ruas de Salvador com um estandarte nas mãos ressaltando a importância da família aos foliões.

“A placa tinha os dizeres: “Família, maior motivo para brincar em paz e voltar pra casa.”

O enredo da Estação Primeira de Mangueira, campeã do carnaval carioca ano passado, também foi destaque em fotos publicadas por Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e Natália Bonavides (PT-DF). Ambos publicaram trechos da letra do samba da escola, que, mais uma vez, apresentou um desfile com críticas sociais e políticas.

Mas e meio a tanta euforia, também houve parlamentar que fez questão de mostrar que não tem samba no pé. Kim (DEM-SP), por exemplo, usou a redes para postar uma foto sua ao lado de um console de game com a legenda: “Partiu carnaval.”

Paulo Ganime (Novo-RJ) brincou com um folião vestido de “fantasma do comunismo” para indicar que tem medo sim do espectro.

A equipe de Marcelo Freixo (PSOL-RJ) fez mais de uma dúzia de postagens relacionadas ao carnaval neste mês, mais de uma em que o deputado indica a paixão e a torcida pela Mangueira que neste ano adaptou a história de Jesus no enredo na Sapucaí.

Tabata Amaral (PDT-SP) aproveitou dois blocos no sábado para distribuir adesivos contra o assédio a mulheres e fazer campanha contra o machismo.

O jovem Kim Kataguiri (DEM-SP) não vai pular carnaval nenhum dia neste ano.

João Campos (PSB-PE) passou no Galo da Madrugada, um dos blocos mais tradicionais do Brasil e que abre o carnaval de Recife, e ensaiou uns passos de dança.


Leia também
Publicidade