Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Bolsonaro diz que não mexe na Caixa e no BB e polemiza sobre decreto de armas

Bolsonaro e alguns ministros passaram cerca de um hora, na manhã desta quinta-feira, reunidos com jornalistas convidados de portais, rádio e televisão

O presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar, em café da manhã com jornalistas, que não participará das manifestações a favor do seu mandato neste domingo, 26. Segundo a Band News, o presidente se posicionou também contra posicionamentos mais radicais. “Quem defende o fechamento do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional está na manifestação errada”, disse ele nesta quinta-feira, 23, segundo a rádio. O presidente falou ainda que “essa pauta está mais para Maduro”, numa referência ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

Ao falar sobre o recuo no decreto de armas, o presidente não fugiu da polêmica. “Meus filhos atiraram desde muito cedo. Não vejo nada de mal em um garoto de 8, 9, 10 anos, obviamente com uma pessoa responsável do lado, atirar. É ensinar que arma é perigosa”, e completou “se vê criança com fuzil no Rio de Janeiro”, lembrando sobre a atuação do tráfico no Rio de Janeiro. 

Privatização

Na questão das privatizações, o presidente foi enfático. “Na Caixa e no BB, não pretendo mexer”, disse Bolsonaro. 

Bolsonaro e alguns ministros passaram cerca de um hora, na manhã desta quinta-feira, reunidos com jornalistas convidados de portais, rádio e televisão. Depois, o presidente teve uma reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da FCA Fiat, Michael Manley Chrysler Automobiles.

Bolsonaro embarcou no final da manhã para a cidade de Capanema (PR), onde participará da cerimônia de inauguração da usina hidrelétrica de Baixo Iguaçu, às 14h30. Ele retorna a Brasília no final da tarde.

 

Com Agências

Você pode gostar
Publicidade