fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Bolsonaro apoia Guedes, mas não defenderá CPMF abertamente

um dos auxiliares de Bolsonaro disse que “o presidente não vai ficar levantando a bandeira da volta da CPMF ou algo do gênero”

Avatar

Publicado

em

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
PUBLICIDADE

O ministro da Economia Paulo Guedes terá o respaldo do presidente Jair Bolsonaro na tentativa de implementar a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), que precisará passar por aprovação no Congresso Nacional. No entanto, o projeto não será abertamente defendido pelo presidente. A informação foi divulgada pelo colunista do G1, Gerson Camarotti.

Ao Portal G1, um dos auxiliares de Bolsonaro disse que “o presidente não vai ficar levantando a bandeira da volta da CPMF ou algo do gênero”. No entanto, o presidente apostará em uma estratégia de “se colar, colou”.

A ideia de recriar a CPMF é rejeitada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e pelo fundador do Partido Novo, João Amoêdo, que também se posicionou contra o imposto. Já entre os representantes da indústria, a ideia de Paulo Guedes recebe apoio.

Maia afirmou, na última quinta-feira (30), que o imposto funcionaria como um “jeitinho” de compensar a desoneração da folha de pagamento das empresas. Já Amoêdo discorda dessa ideia e afirma que, apesar de ser um imposto de fácil cobrança, a principal preocupação deveria ser se o dinheiro está sendo bem aplicado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade