fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Biden terá de se mostrar capaz de ir além do discurso sobre união, diz Mourão

O vice-presidente afirmou ainda que não tem dúvidas de que as relações econômicas com os EUA “vão perdurar e vão avançar”

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O vice-presidente Hamilton Mourão avaliou nesta segunda-feira, 9, que, uma vez confirmada a eleição do democrata Joe Biden, o presidente eleito dos Estados Unidos terá “inúmeras dificuldades”. Além de dificuldade na relação com a China, Mourão citou que os EUA estão divididos e, por isso, Biden precisa ir além de apenas um discurso de unificação. Em live promovida pelo Itaú, o vice-presidente reforçou que o governo brasileiro espera o final do processo eleitoral americano para se pronunciar.

“Acho que o presidente Biden, uma vez confirmada sua eleição, ele terá inúmeras dificuldades pela frente. Tem a questão da China, tem a questão do relacionamento com a Europa ocidental, tem alguns conflitos internacionais onde os Estados Unidos estão operando e tem a própria situação interna do país”, afirmou Mourão. “Existe uma divisão lá dentro e o presidente Biden terá que se mostrar capaz de ir além da mera retórica de dizer que ele está lá para unir os americanos e realmente trabalhar em prol dessa união”, acrescentou.

O vice-presidente afirmou ainda que não tem dúvidas de que as relações econômicas com os EUA “vão perdurar e vão avançar”. Ele destacou que Brasil e Estados Unidos são duas das maiores democracias e economias ocidentais e que os dois países partilham de valores comuns como a “defesa pela liberdade, democracia e direitos humanos”. “As nossas relações (com EUA) são densas, são complexas, e os interesses tanto de Brasil como Estados Unidos transcendem mero processo eleitoral”, observou.

Em relação à questão do meio ambiente, Mourão comentou a ideia de Joe Biden de reunir países para a apoiar a preservação da região amazônica. “Se pagarem os serviços ambientais já ficamos satisfeitos com isso. Já teremos recursos suficientes para avançar em todos as nossas agendas na Amazônia”, disse.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Estadão Conteúdo




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade