fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Opinião

Depois de vencer 2019, Iges-DF avança em 2020

Informatizar a Secretaria de Saúde e aproximar os profissionais da população são alguns dos objetivos do instituto para o segundo ano da gestão Ibaneis Rocha

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Por Francisco Araújo*

Ao longo desse primeiro ano do governo Ibaneis Rocha, nossa pauta focou em atender as principais reclamações da população com relação à saúde pública.

Para isso, diversas frentes foram montadas a fim de que pudéssemos fazer as entregas urgentes.

Decorrido esse tempo, nossa alegria é poder dizer que o trabalho foi intenso e está sendo feito com determinação desde o primeiro dia.

Agora, com o início do segundo ano de governo, avançaremos para fazer ainda mais.

Três pontos norteiam o trabalho da administração do governo Ibaneis Rocha rumo a uma saúde pública de qualidade no Distrito Federal: informatizar a Secretaria de Saúde (SES), fortalecer a comunicação direta com a população e dar continuidade à expansão do modelo de gestão do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF).

A informatização da Secretaria de Saúde do DF está sendo trabalhada nos mesmos moldes do que foi feito pelo Iges-DF no Hospital de Base (HB) e nas seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Hoje, essas unidades estão informatizadas com sistemas modernos de gestão que permitem gerenciar recursos humanos, financeiros e materiais com mais eficiência.

Nesse sentido, em 2020, um dos grandes passos que serão dados pela SES será a informatização da folha de pagamento, bem como implantará um novo sistema informatizado em quatro dos 14 hospitais sob sua administração, onde o Iges-DF atuará com know-how de gestão para que tenhamos avanços garantidos.

No que diz respeito à comunicação, trabalharemos a aproximação com a população para que as ações de saúde sejam disseminadas de forma mais assertiva. Seguiremos, dentro do escopo de gestão da comunicação do instituto, norteando a comunicação da SES, principalmente com novas tecnologias, tudo pactuado pelo Contrato de Gestão.

Sobre a expansão do modelo do Iges-DF, os resultados de 2019, por si só, demonstram a eficiência da gestão e nos dão confiança para defender sua ampliação com um planejamento cuidadosamente elaborado.

Foi um ano de realizações.

A reforma no valor de R$ 1,5 milhão nas seis UPAs que estavam completamente sucateadas, o abastecimento regular de insumos e medicamentos e a recomposição das escalas com a contratação de profissionais (médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, entre outros), atendendo o que é preconizado pelo Ministério da Saúde, são apenas alguns dos resultados que hoje garantem um melhor atendimento à população, um dos exemplos que deram e continuarão dando resposta positiva à população.

Outro avanço fundamental da gestão do Iges-DF foram as inúmeras ações desenvolvidas no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM). Foram investidos mais de R$ 1,5 milhão em obras na cozinha, no bloco de emergência que ganhará 11 leitos nas salas vermelhas e na preparação de um espaço para o recebimento de uma nova ressonância magnética, a primeira que deve entrar em funcionamento em toda a rede pública do DF. Além disso, o ambulatório foi contemplado com um novo espaço onde passou a funcionar o Hospital Dia.

O serviço funcionará atendendo pacientes em condições de alta, que muitas vezes ficavam internados apenas receber medicação intravenosa. Agora, poderão ir para suas casas, retornando ao hospital somente nos horários agendados para concluir o tratamento. A capacidade será, em média, de 100 atendimentos por dia. O serviço será prestado por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, entre outras categorias da área de saúde. Os benefícios são a redução da taxa de ocupação do hospital e giro de leito, abrindo mais vagas de internação.

Além disso, todo o trabalho desenvolvido dentro do Hospital de Base, que é, sem sombra de dúvidas, um dos maiores complexos hospitalares do país, tem transformado o modelo de gestão pública de saúde. Reafirmamos nosso compromisso com o atendimento eficaz e humanizado.

Estamos trabalhando incansavelmente para a produção de grandes resultados para a população.

No HB, foram criados 36 novos leitos, retomadas as cirurgias cardíacas de peito aberto, além dos grandes investimentos em medicina nuclear para a instalação do PET-CT.

Tudo isso só foi possível, principalmente, à contratação de mais de 3.500 profissionais de saúde com ênfase na contratação de médicos de diversas especialidades foi o nosso grande triunfo de 2019. Uma das maiores contratações para a saúde no Brasil.

Diante de todas essas entregas tão esperadas e merecidas pela comunidade do Distrito Federal, entramos o ano de 2020 com a perspectiva concreta de novos avanços.

Assim como foi feito na radiologia, o instituto fará os investimentos na hemodiálise e terá a estruturação de toda a medicina nuclear com a perspectiva futura da construção do Hospital Oncológico, que colocará o Iges-DF como protagonista do tratamento do câncer no Distrito Federal de ponta a ponta.

Dessa forma, o Hospital de Base, que já é referência em trauma e câncer, passará a atuar de forma ainda mais incisiva nessas áreas e a Secretaria de Saúde ficará com a missão de fortalecer a estrutura e adequar a medicina à saúde preventiva.

Ou seja, na prática a SES voltará seu trabalho para a atenção básica, focando na prevenção, o que há anos não se faz no DF.

Quanto ao Iges-DF que realizou aproximadamente 15 mil cirurgias, 2 milhões de exames e 350 mil consultas em 2019, seguirá orientando, treinando, fazendo consultoria e auxiliando na evolução dos processos junto a SES nesse escopo de rede, trabalhando a expansão do modelo com mais resultados.

Prova disso é o início dos trabalhos para a construção de mais sete UPAs, contemplando as áreas mais carentes desses equipamentos. Assim, Brazlândia, Ceilândia, Gama, Paranoá, Planaltina, Riacho Fundo II e Vicente Pires serão contempladas já em 2020.

Essas conquistas e resultados, incontestáveis, apresentados pelo Iges-DF, sustentam o atrelamento entre teoria e prática e refletem, efetivamente, o que o governo se predispôs a fazer para a mudança efetiva da configuração da saúde pública do DF em três níveis: primário, secundário e terciário.

Desejo a todos que, assim como o governo vem fazendo desde o início de sua gestão, a ação estrategicamente planejada norteie nossos caminhos no novo ano que se avizinha.

Que atuemos com sabedoria, eficácia e resolutividade para que possamos expandir ainda mais nossos horizontes pelo caminho do bem comum e da luta incansável por um Distrito Federal cada vez melhor!

Boas Festas!

 

* Francisco Araújo é Diretor Presidente do Instituto Hospital de Base (Iges-DF)


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade