Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Secretário do Rio culpa fake news por baixa adesão à vacinação infantil

Soranz ainda pediu a conscientização dos pais e relembrou o número de crianças internadas em razão da covid-19 no município

Por FolhaPress 26/01/2022 12h34
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

São Paulo, SP

O secretário Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, disse nesta quarta-feira (26) que a divulgação de fake news (notícias falsas) está colaborando para a baixa adesão à vacinação infantil no município.

“A gente viu uma adesão muito baixa nessa primeira semana, mas também tinha poucas vacinas, teve algumas fake news, de supostos efeitos adversos que não se confirmaram. São duas vacinas muito seguras, a vacina da Pfizer já foi utilizada em mais de 14 milhões de crianças no mundo, a CoronaVac também foi utilizada em larga escala em vários países, no Chile principalmente”, disse a jornalistas.

Segundo o secretário, tanto a CoronaVac quanto a vacina da Pfizer, que já estava sendo aplicada nas crianças desde o dia 17 com dosagem e formulação específicas para o público infantil, são seguras e eficazes contra o agravamento da covid-19.

Soranz ainda pediu a conscientização dos pais e relembrou o número de crianças internadas em razão da covid-19 no município.

“Então, a gente espera que os pais sejam conscientes, ajudem nessa proteção. Hoje a gente tem 17 crianças internadas com covid-19 na cidade do Rio. É um número importante e a gente pede e insiste com os pais para trazer essas crianças para vacinar. As vacinas são seguras e eficazes e a gente precisa dessa adesão, que os pais tragam as crianças”

Vacinação infantil

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O município do Rio de Janeiro retomou hoje o cronograma de vacinação das crianças contra a covid-19, com meninos e meninas de 10 anos ou mais. A retomada foi possível com a chegada de 100 mil doses do imunizante CoronaVac na segunda-feira (24).

O uso da CoronaVac, fabricada no Brasil pelo Instituto Butantan, foi aprovado na semana passada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a aplicação em crianças a partir dos 6 anos de idade. A fórmula e a dosagem pediátricas são as mesmas utilizadas em adultos.

Hoje, podem ser vacinadas meninas e meninos de 10 anos. Amanhã (27), será a vez das crianças de 9 anos e na sexta-feira (28) e no sábado (29) podem ser levadas aos postos o público com 8 anos ou mais.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) as doses disponíveis são suficientes para cobrir o cronograma desta semana, mas são esperadas novas remessas até sexta-feira para dar continuidade à aplicação das demais faixas etárias a partir de segunda-feira (31).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na próxima semana, volta o esquema de um dia para meninas, outro para meninos e o terceiro para a repescagem, em idade decrescente, terminando o cronograma no dia 9 de fevereiro com a repescagem para crianças a partir dos 5 anos de idade.

A Secretaria de Saúde informa ainda que, a depender da disponibilidade de doses, o calendário poderá ser adiantado.
Crianças de 5 a 11 anos com deficiência ou comorbidades podem ser levada aos postos em qualquer dia, independentemente do calendário por idade.








Você pode gostar