Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Relatório da CPI está praticamente pronto, mas ainda há pontas soltas

Relator afirma que o documento precisará ser atualizado após os últimos depoimentos. Queiroga ainda deve ser ouvido; comissão também investiga os casos Prevent Senior e VTCLog

Por Willian Matos 28/09/2021 10h39
Renan Calheiros, relator da CPI da Pandemia. Foto: Agência Senado

O relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou nesta terça-feira (28) que o relatório final da comissão está “praticamente pronto”. Contudo, de acordo com Renan, há algumas questões a serem incluídas com os próximos depoimentos. Na reta final dos trabalhos, o colegiado investiga casos relacionados à empresa de planos de saúde Prevent Senior e à empresa de logística VTCLog, que presta serviços ao Ministério da Saúde.

“O relatório está pronto, praticamente. Precisará ser atualizado apenas com relação aos últimos depoimentos que se verificarão. Tão logo nós tenhamos o último depoimento, o presidente [Omar Aziz] vai marcar o dia para que nós apresentemos o relatório”, disse Renan. Esta data de apresentação deve ser na semana que vem, no dia 6 ou no dia 7 de outubro, conforme apurou o Jornal de Brasília.

O senador frisa que o prazo final da CPI é dia 4 de novembro, e que, embora o colegiado esteja trabalhando para adiantar o término, há “muita ponta a ser amarrada”. “Há messa questão da VTCLog; esse caso da Prevent Senior ainda vai dar muito o que falar; nós precisamos ouvir o Queiroga…”, comentou o relator. Trabalham no relatório final um grupo multidisciplinar composto por juristas, especialistas em saúde, técnicos do Senado, representantes do Tribunal de Contas da União (TCU), dentre outros membros.

O vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), também falou que as investigações sobre a VTCLog ainda não estão concluídas. A empresa de logística entrou na mira da comissão após o JBr revelar que o motoboy Ivanildo Gonçalves chegou a sacar R$ 4,7 milhões a mando de seus chefes. Randolfe quer ouvir Carlos Alberto de Sá, sócio-administrador da entidade conhecido como Carlinhos. “Acredito que ele terá muitas informações para trazer. Mas eu considero indispensável que, se não for ele, tem que ter alguém que feche as informações que nós temos sobre o caso VTCLog.”

Renan Calheiros disse ainda que queria ouvir o ex-ministro Walter Braga Netto. “Eu sou a favor, mas nós temos tido condições concretas para aprovar a convocação do general Braga Netto, que foi, nunca é demais lembrar, o coordenador do Comitê de Enfrentamento à Pandemia e ministro da Casa Civil no advento dessas medidas de tratamento precoce, tudo mais. A presença dele é uma presença importante, como, aliás, são importantes todas as presenças, mesmo que o depoente não queira colaborar”, relembrou.

Prevent Senior

A CPI recebeu recentemente um dossiê feito por médicos da Prevent Senior. Neste documento, os profissionais acusam a empresa de usar hidroxicloroquina e azitromicina sem o consentimento de pacientes e familiares. A Prevent teria feito um estudo com os medicamentos — comprovadamente ineficazes contra a covid — e ocultado mortes dos pacientes a fim de exaltar as medicações.

Hoje, a comissão ouve a advogada Bruna Mendes Morato, que ajudou os médicos a produzirem este dossiê. Bruna se colocou à disposição da CPI para esclarecer fatos. O depoimento deve se iniciar por volta de 11h. Assista ao vivo:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar