Política & Poder

Nós, militares, seguimos o norte indicado pela população, diz Bolsonaro a integrantes da FAB

Em discurso, presidente exaltou o fato de ele e seus ministros acreditarem em Deus

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Daniel Carvalho
Brasília-DF

Dois dias após dizer que quem decide se um povo vai viver democracia ou ditadura são as Forças Armadas, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quarta-feira (20) que os militares seguem o norte indicado pelo povo.

Bolsonaro discursou para integrantes da FAB (Força Aérea Brasileira) na cerimônia alusiva ao 80º aniversário do Comando da Aeronáutica.

“O Brasil vem experimentando mudança ao longo dos últimos dois anos. Uma das mais importantes: temos um presidente da República que, juntamente com seu Estado Maior, ministros, acreditam em Deus, respeitam os seus militares, fato raro nas últimas três décadas em nosso país”, disse Bolsonaro.

“E também deve lealdade absoluta ao seu povo. Nós, militares das Forças Armadas, seguimos o norte indicado pela nossa população. Nós nos orgulhamos disso. Eu me orgulho das Forças Armadas e assim diz nosso povo em todos os momentos que é chamado a falar sobre ela”, afirmou o presidente em seu discurso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Bolsonaro disse que a Força Aérea nasceu “combatendo o nazismo e o fascismo” durante a Segunda Guerra Mundial e que mostrou desde o início de que lado estava.

“Estava do lado da democracia e da liberdade”, afirmou.

Em um trecho mais político de sua fala, Bolsonaro disse que, quando é atacado, “dependendo de onde vêm estes fogos, tenho certeza que estamos no caminho certo”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Eu prego e zelo pela união de todos, pelo entendimento, pela paz e pela harmonia. Mas, os poucos setores que teimam remar em sentido contrário, tenho certeza, vocês perderão”, afirmou.

Bolsonaro afirmou ainda que as Forças Armadas são a “grande base” para cumprir sua missão.

“Hoje nós temos um governo que pensa no seu Brasil como um todo. E a grande base nossa para cumprir essa missão são a nossa Marinha, o nosso Exército e a nossa Aeronáutica. Porque vocês, jovens militares que estão à nossa direita, são o caldo do que é o povo brasileiro.” ​

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Bolsonaro está acuado nos últimos dias por causa do fracasso de seu governo na enfrentamento à pandemia de Covid-19.

Na segunda-feira (18), um dia após ver seu principal adversário político, o governador João Doria (PSDB), vencer a queda de braço e iniciar a vacinação por São Paulo, Bolsonaro apelou a seu arsenal ideológico para levantar sua base popular mais fiel.

Além de orar, reforçar diferenças entre homens e mulheres e criticar o socialismo, Bolsonaro enalteceu as Forças Armadas e disse que delas depende a democracia ou a ditatura em um país.

“Por que sucatearam as Forças Armadas ao longo de 20 anos? Porque nós, militares, somos o último obstáculo para o socialismo. Quem decide se um povo vai viver na democracia ou na ditadura são as suas Forças Armadas. Não tem ditadura onde as Forças Armadas não apoiam”, disse Bolsonaro no jardim do Palácio da Alvorada, disse na segunda-feira.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“No Brasil, temos liberdade ainda. Se nós não reconhecermos o valor destes homens e mulheres que estão lá, tudo pode mudar. Imagine o Haddad no meu lugar. Como estariam as Forças Armadas com o Haddad em meu lugar?”, indagou Bolsonaro no início da semana, referindo-se a seu adversário na eleição de 2018, Fernando Haddad (PT).​

As informações são da FolhaPress

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE





Você pode gostar