Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

MP vai apurar R$ 2 mi gastos com shows de sertanejos no interior do RJ

Por conta da repercussão do caso, um movimento nas redes sociais pediu a abertura de uma CPI do Sertanejo no Congresso

Por FolhaPress 22/06/2022 6h26
Abertura do São João de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco não foi transmitida por proibições da produção do sertanejo

Igor Mello
São Paulo, SP

O MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) vai apurar a contratação de shows em Cardoso Moreira, município de aproximadamente 12 mil habitantes no Norte Fluminense.

Os sertanejos Luan Santana e Naiara Azevedo, a cantora de axé Claudia Leitte e do pagodeiro Thiago Martins têm shows previstos para a Expo Cardoso Moreira 2022, entre 14 e 17 de julho. Segundo o MP, a cidade pode ter gasto até R$ 2 milhões com as quatro apresentações.

Os promotores do 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Itaperuna abriram um inquérito civil para investigar as despesas. Segundo eles, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) estabeleceu que pequenos municípios como Cardoso Moreira não podem ter gastos milionários com apresentações artísticas.

“Recentemente, o STJ proibiu que municípios pequenos realizassem gastos excessivos com shows, haja vista a situação precária em relação a vários serviços públicos e que a população sofreria consequências graves com tais despesas”, pregou o MP no Inquérito Civil, Na visão da promotoria, Cardoso Moreira não tem condições financeiras de arcar com esse gasto.

CONTRATAÇÕES DE SERTANEJOS NA MIRA DA JUSTIÇA

Os shows pagos por prefeituras de interior -muitas vezes de cidades muito pobres- para artistas, em sua maioria sertanejos, entraram no foco do debate público após o cantor Zé Neto, da dupla Zé Neto e Cristiano, criticar a cantora Anitta e alegar que não dependia “da Lei Rouanet”.

O colunista do site UOL Demétrio Vecchioli revelou que a dupla e diversos outros cantores sertanejos recebiam altos valores para fazer shows em cidades do interior. O cantor Gusttavo Lima chegou a receber R$ 1,2 milhão por uma apresentação e virou um dos focos do escândalo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por conta da repercussão do caso, um movimento nas redes sociais pediu a abertura de uma CPI do Sertanejo no Congresso. Ministérios Públicos de todo o Brasil abriram investigações por conta de shows em municípios sem condições de custeá-los.








Você pode gostar