Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Lula diz que PT ‘errou muita coisa’ e que Mano Brown acertou ao criticar partido

Ao ser questionado sobre o momento do PT, disse que não se pode “sair da periferia” e que é necessário ir ao povo onde está

Por FolhaPress 02/12/2021 11h07
Foto: Ricardo Sturckert

O ex-presidente Lula afirmou nesta quinta-feira (2) que o PT “errou muita coisa” e que o cantor Mano Brown estava certo quando disse, em 2018, que o partido não estava mais conseguindo falar com a população.

Lula deu as declarações ao participar do podcast Podpah. Em mais de duas horas de conversa, em clima de descontração, o petista criticou o presidente Jair Bolsonaro (PL) – chamado por ele de “anomalia política”–, questionou o fim do Bolsa Família e disse que atualmente é “moda se dizer ignorante”.

Ao ser questionado sobre o momento do PT, disse que não se pode “sair da periferia” e que é necessário ir ao povo onde está.

O cantor Mano Brown disse em comício em 2018 que o partido não tinha conseguido “falar a língua do povo”. Questionado sobre isso, Lula disse que o artista aliado estava certo. “Ir na porta de banco, vai na porta de fábrica, vai nos bairros. Conversar com o povo.”

Sobre erros nos mandatos petistas, disse: “Acho que o PT errou muita coisa, deve ter errado, deve ter deixado de fazer coisas”. Mas não detalhou quais são os erros que considera que o partido cometeu.

O ex-presidente disse que até quando se recebe vaia é preciso entender os motivos. Ele reclamou, porém, de quem pede que o PT faça autocrítica e disse que isso cabe aos adversários. “Nunca vi ninguém pedir para o Fernando Henrique Cardoso fazer autocrítica.”

Sobre a eleição de 2022, reafirmou que ainda vai decidir se será candidato, mas se disse disposto a voltar. Criticou outros possíveis adversários, como João Doria (PSDB) – afirmou que, por ser rico, o tucano não tem conhecimento sobre a situação da população.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Também falou sobre a possibilidade de alianças em eventual governo e comparou com as circunstâncias da Alemanha, onde o social-democrata Olaf Scholz só conseguiu um acordo para assumir o governo após conversar com partidos que tinham sido adversários.

Lula, porém, não citou diretamente o nome do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que vem sendo cotado para uma aliança em que seria vice na chapa do petista em 2022.

O ex-presidente disse que o Auxílio Brasil, criado por Bolsonaro, é uma bobagem criada visando só a eleição e que o pobre é tratado “como papel higiênico”. Comparou o atual governo com uma “tempestade de maldades”.

No programa, Lula, que lidera as pesquisas de intenção de voto para presidente em 2022, também falou sobre o período na prisão e voltou a criticar as autoridades da Operação Lava Jato. Ele passou 580 dias preso entre 2018 e 2019, em decorrência de condenação por corrupção e lavagem de dinheiro. As sentenças foram anuladas neste ano no Supremo Tribunal Federal, que considerou parcial o ex-juiz Sergio Moro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Lula disse que pretende pedir indenização pelas medidas que sofreu em decorrência da investigação. “Eu ainda vou pensar bem, mas em algum momento eu vou processar, porque nem que seja um tataraneto meu um dia ainda vai ganhar um processo por essa sacanagem que fizeram comigo.”

O petista afirmou que que nunca imaginou que iria sofrer acusações da maneira como ocorreu na Lava Jato. “Com essa gente, com esse bandido sabendo que eu não tinha feito. Eu poderia ter saído do Brasil [antes de ser preso], poderia ter ido para outro país, ter ido para uma embaixada. Mas tomei a decisão de que eu tinha que ir para Curitiba, para a Polícia Federal.”








Você pode gostar