Política & Poder

Lula diz considerar insensata discussão sobre terceiro mandato

Por Arquivo Geral 05/11/2007 12h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva considerou “insensato” o país discutir, dosage neste momento, case a possibilidade de um terceiro mandato. “O governo está com menos de um ano do seu segundo mandato. Nós aprovamos todas as coisas que deveriam ser aprovadas, o Brasil está funcionando bem, a economia está funcionando bem”, afirmou.

Lula deu a declaração logo após participar hoje, no Palácio do Planalto, da cerimônia de entrega do 1º Prêmio Internacional Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Para o presidente, a prioridade é concluir a gestão atual. “Por que deveríamos arrumar sarna para nos coçar, discutindo eleição? Temos é que terminar este mandato com muita tranqüilidade e não permitir que coisas atravessadas atrapalhem o bom momento que o Brasil vive”, disse.

Segundo Lula, o foco do Brasil atualmente deve ser o cumprimento das promessas feitas ao povo brasileiro. “Fora disso, é insensatez pura, falta de sensibilidade política”, declarou.

Sobre o referendo que pode conceder a reeleição ilimitada ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, Lula afirmou que a discussão cabe apenas ao país vizinho. “É engraçado, porque já vi Margareth Thatcher [primeira-ministra britânica na década de 80] tantas vezes reeleita primeira-ministra, já vi Helmut Köhl [ex-chanceler alemão] ficar tanto tempo no poder e eu nunca vi ninguém perguntar se vários mandatos sucessivos eram ruins”, comparou. “Acho que o Chávez está fazendo aquilo que entende que deva fazer na Venezuela.”

Lula, no entanto, descartou a repetição da experiência venezuelana no país. “Penso que o Brasil não pode brincar com a democracia”, ressaltou. “Demoramos muito, muita gente sofreu para que a gente consolidasse a nossa democracia.”

Apesar de ter sido reeleito em 2006, o presidente afirmou ser pessoalmente contrário à reeleição. “Eu era contra a reeleição de um mandato, por que seria favorável à reeleição de um outro mandato?”, questionou Lula. “Acho insensato qualquer pessoa discutir a possibilidade de um terceiro mandato”, concluiu.






Você pode gostar