Política & Poder

Ex-ministros de Bolsonaro criticam aliança com o Centrão

Ernesto Araújo afirmou que perdeu poder no governo quando o presidente começou a se aproximar do Centrão

Os ex-ministros Abraham Weintraub, da Educação, e Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, criticaram a aliança do presidente Jair Bolsonaro (PL) com parlamentares do Centrão. Em live nesta segunda-feira, 17, os ex-auxiliares do governo apontaram que o chefe do Executivo se afastou das pautas ideológicas pelas quais foi eleito. Na avaliação de Weintraub, o mandatário teria “substituído” a ala conservadora do Executivo federal por integrantes do bloco político.

Ernesto Araújo, que deixou o cargo de ministro em março de 2021, afirmou que perdeu poder no governo quando o presidente começou a se aproximar do Centrão. Segundo ele, o bloco teria passado a pautar a gestão federal conforme os interesses da China, impedindo que ele levasse adiante o que ele classificou como projeto “transformador” de política externa. “Quando o Centrão começou a dominar o governo, fui cada vez mais isolado”, disse. Em sua gestão, Araújo foi criticado por ofender e criar atritos com o país asiático, um dos principais parceiros comerciais do Brasil.

O ex-chefe do Itamaraty dissertou sobre a cultura da China, que, segundo ele, o Centrão tenta perpetuar no Brasil. Para ele, o país asiático representa o oposto dos valores defendidos por Bolsonaro, como a religião. Araújo disse que costuma chamar o Progressistas, que atende pela sigla PP, de “Partido de Pequim”. Os ministros Fábio Farias, das Comunicações, Flávia Arruda, da Secretaria de Governo, e Ciro Nogueira, da Casa Civil, estariam tentando transformar o País em uma “colônia chinesa”, segundo ele. “O Centrão acha que política externa é fazer tudo o que a China quer”, completou.

Abraham Weintraub, por sua vez, afirmou que o bloco político encabeçado pelo Progressistas representa um “obstáculo” à pauta ideológica do bolsonarismo. Os conservadores, segundo ele, passaram a sofrer ataques constantes desde que foram substituídos “pela turma do Centrão”.

O pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, saiu em defesa do presidente e argumentou que Bolsonaro não teria governabilidade se não cedesse ao bloco. Principal entrevistado da live, Malafaia citou trechos bíblicos para justificar a ação do presidente, que, segundo ele, sofreria um impeachment se não fizesse alianças com sabedoria.

Como mostrou o Estadão, o apoio do Centrão não é garantido a Bolsonaro nas eleições deste ano. O bloco político deve se opor a candidatos bolsonaristas em ao menos cinco Estados. Em São Paulo, Pernambuco, Piauí, Ceará e Maranhão, líderes e parlamentares de partidos como PL, Progressistas e Republicanos – tripé de sustentação do governo federal – resistem a romper com adversários do Palácio do Planalto e traçam saídas para manter espaços em círculos petistas ou do PSDB.

Estadão conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Matéria publicada em 18 de janeiro de 2022 14:53

Redação Jornal de Brasília

Notícias Recentes

Inundações deixam cerca de 60 mortos em Bangladesh e na Índia

Os socorristas ainda se esforçam para ajudar milhões de pessoas isoladas. Foram registrados 10 óbitos em Bangladesh, e 50, na…

22 de maio de 2022

Carro capota e colide em árvore no Pistão Sul

Durante o acidente, a motorista, de 23 anos, provavelmente sem cinto de segurança, foi lançada para fora do carro

22 de maio de 2022

Perseguição policial termina em acidente na EPIA Sul e duas pessoas feridas

Segundo o CBMDF, durante a perseguição, o suspeito perdeu o controle do carro na alçada da EPGU com a EPIA,…

22 de maio de 2022

Bancada evangélica já alcança 80% dos partidos

O estudo aponta que apenas 62 dos 4.879 projetos propostos na pauta de costumes na Casa foram efetivamente aprovados

22 de maio de 2022

Futebol solidário arrecada 60 toneladas de alimento

Com a ajuda de grupos católicos, espíritas e candomblecistas, mais de 60 toneladas de alimento foi arrecadado

22 de maio de 2022

Serviço de bordo em voos é retomado

Em nota, a Azul disse que vai retomar o serviço, a partir de hoje, Já a Gol Linhas Aéreas anunciou…

22 de maio de 2022

This website uses cookies.