Política & Poder

Deputados decidem restringir circulação em gabinetes e voltar ao home office

A escala foi adotada no ano passado e só teve presença total na última semana

Brasília – Plenário da Câmara dos Deputados antes do inicio da discussão do relatório do Impeachment (Antônio Cruz/Agência Brasil)

Joana Cunha

São Paulo, SP

Com o recrudescimento da pandemia, deputados federais estão restringindo a quantidade de pessoas dentro dos gabinetes em Brasília e voltando ao home office nos últimos dias.

Eles afirmam que a circulação cresceu muito desde a semana passada, quando a mesa da Câmara determinou a volta gradual dos trabalhos com medidas de distanciamento social e revezamento. Na última semana, também cresceu a presença de prefeitos em busca de recursos para os municípios.

Nesta quinta-feira (25), Jerônimo Goergen (PP-RS) decidiu retomar o rodízio de um funcionário por dia no gabinete. A escala foi adotada no ano passado e, segundo ele, só teve presença total na última semana.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Voltamos porque só nesta terça (23) cheguei atender mais de cem pessoas e não há proibição de trânsito na Câmara. Eu achava que teríamos um legado de digitalização, mas não ficou”, afirma.

Na quinta, o deputado Pedro Westphalen (PP-RS) decidiu suspender todas as atividades presenciais no escritório em Porto Alegre e no gabinete da Câmara.

Alexandre Padilha (PT-SP), cujo gabinete está em home office desde o início da pandemia, defende que a Câmara volte ao trabalho remoto com restrição de circulação. “O espaço virou um ‘covidário’ nas últimas semanas”, diz.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As informações são da Folhapress






Você pode gostar