Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Deputado sugere que Omar Aziz deveria ter sido indiciado e irrita o presidente

Deputado amazonense acusou Aziz de pagar R$ 50 milhões em verbas indenizatórias enquanto governador do estado

Por Willian Matos 29/06/2021 12h17
Foto: Pedro França/Agência Senado

Em depoimento à CPI da Pandemia nesta terça-feira (29), o deputado estadual do Amazonas Fausto Júnior (MDB) declarou que o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), pagou R$ 50 milhões em verbas indenizatórias enquanto foi governador amazonense entre 2011 e 2014. A declaração irritou Aziz, que passou a indagar Fausto diretamente em meio às perguntas do relator Renan Calheiros (MDB-AM).

Fausto foi relator, no ano passado, da chamada CPI da Saúde no Amazonas. O deputado foi perguntado por que não indiciou o governador Wilson Lima por irregularidades na condução da pandemia e declarou que propôs indiciamento. “Todos os governadores investigados pela CPI mereciam ser indiciados, eu propus isso no âmbito da comissão e não foi aceito”. Em seguida, o parlamentar disse que até mesmo Omar Aziz deveria ser indiciado:

“O certo era para ser indiciado inclusive o senador Omar Aziz pela gestão dele na Saúde. Todos têm participação.”

A fala incitou Aziz, que respondeu: “O senhor pode me indiciar 50 vezes”. “Até o senador Luis Carlos Heinze (PP-RS) deu uma gargalhada como se tivesse feito um gol. Fez um gol contra, senador”, prosseguiu o presidente da CPI.

Fausto, então, acusou: “Vossa excelência pagou 50 milhões de reais de processo indenizatório, senador. Processos absolutamente irregulares”. Aziz disse que estes pagamentos ocorreram no governo do hoje senador Eduardo Braga (2003-2010).

Estas seriam as verbas indenizatórias, de acordo com levantamento de Fausto Júnior. Foto: Reprodução/TV Senado

‘Quem faz processo indenizatório não é o governador do estado, são as secretarias”, declarou Omar Aziz. “Foi por isso que o senhor não foi iniciado”, rebateu Fausto Junior. “Pior que não tenho culpa”, treplicou Aziz. “Nem o governador Wilson Lima”, finalizou Fausto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar