Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Coronavírus: Ciência e Tecnologia suspende trabalho presencial em quatro órgãos

Estão liberados a trabalhar presencialmente somente aqueles servidores que atuam em atividades consideradas essenciais

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações autorizou a suspensão imediata do trabalho presencial de quatro órgãos vinculados à pasta “em função do elevado número de casos confirmados de covid-19 na última semana entre os servidores e colaboradores que retornaram às atividades presenciais”.

A suspensão vale até 31 de janeiro e alcança o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), o Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (CEMADEN) e o Instituto Nacional de Tecnologia (INT).

De acordo com portarias publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira, estão liberados a trabalhar presencialmente somente aqueles servidores que atuam em atividades consideradas essenciais. Os atos não informam a quantidade de servidores contaminados com coronavírus.

Receita Federal

A Secretaria Especial da Receita Federal mudou para 31 de março de 2022 a data para retorno ao trabalho presencial de servidores e empregados públicos que atuam no órgão. Com isso, a instituição poderá reorganizar as tarefas com a adoção de trabalho remoto, especialmente para aqueles do grupo de risco ou que convivam com pessoas do grupo de risco para covid-19.

O retorno deveria ter começado no fim do ano passado, mas a Receita decidiu revisar a determinação “em razão de mudança no cenário epidemiológico da doença provocada pelo coronavírus (covid-19) e sua atual variante Ômicron”, conforme cita em portaria publicada no Diário Oficial da União de hoje.

“Compete aos titulares de unidades da RFB (Receita Federal do Brasil) assegurar a preservação das atividades e o funcionamento de serviços de natureza presencial”, cita a norma. “O Subsecretário-Geral da Receita Federal do Brasil poderá dirimir casos omissos e editar atos complementares necessários ao cumprimento do disposto nesta portaria”, completa.

O Brasil enfrenta uma nova onda de aumentos de casos de covid-19 por causa da variante Ômicron. Neste domingo, 16, o País registrou 92 novas mortes pela covid-19. A média semanal de vítimas, que elimina distorções entre dias úteis e fim de semana, ficou em 153, com tendência de crescimento pelo sexto dia consecutivo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O número de novas infecções notificadas foi de 31.629, enquanto a média móvel de testes positivos ficou em 69.235 – um aumento de 721% em relação à de duas semanas atrás. No total, o Brasil tem 621.099 mortos e 23.006.952 casos da doença.

Os dados diários do Brasil são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado diariamente às 20h. Segundo os números do governo, 21,6 milhões de pessoas se recuperaram desde o início da pandemia.

O Ministério da Saúde informou neste domingo que foram registrados 24,9 mil novos casos e mais 74 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas. No total, segundo a pasta, são 23.000.657 pessoas infectadas e 621.045 óbitos. Os números são diferentes do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.

Estadão Conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar