Política & Poder

Bolsonaro reconhece não ser um excelente presidente, mas justifica rejeição: “Estamos cumprindo uma missão aqui”

Presidente afirmou que rejeição atribui-se a uma parcela de pessoas que tem “saudade” de gestões anteriores

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (19) que reconhece não ser um “excelente presidente”. Em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, Bolsonaro falou a respeito.

Para Bolsonaro, o aumento da rejeição do seu governo é devido a uma parcela de pessoas que tem “saudade” de gestões anteriores.

“Não vou dizer que eu sou um excelente presidente. Mas tem muita gente querendo voltar o que eram os anteriores. Já reparou?”, questionou. “É impressionante. Estão com uma saudade de uma…”, prosseguiu, sem concluir a frase.

“Estamos cumprindo uma missão aqui”

A rejeição que permeou a declaração de Bolsonaro foi apontada em pesquisa XP/Ipespe divulgada na segunda-feira (18). O levantamento mostra que o índice de rejeição do governo aumentou de 35% para 40%.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A pesquisa XP/Ipespe mostra ainda que caiu de 38% para 32% o percentual da população que enxerga como bom/ótimo o atual governo. É a primeira vez, desde julho de 2020, que a avaliação negativa é maior que a positiva.

Também cresceu o número de pessoas que consideram ruim ou péssimo o modo com que Bolsonaro se posiciona diante da pandemia da covid-19. O percentual chegou a 52% — quatro por cento a mais ante dezembro de 2020.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar