Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Bolsonaro no PL amplia sopa de letrinhas em sua vida partidária; relembre siglas

Bolsonaro e aliados fracassaram na tentativa de criar uma legenda e foram estopim de rachas internos em partidos com os quais negociaram ingresso

Por FolhaPress 30/11/2021 12h47
Foto: REUTERS / Adriano Machado

SÃO PAULO, SP

O presidente Jair Bolsonaro confirmou nesta terça-feira (30) sua filiação ao PL de Valdemar Costa Neto. Foram quase dois anos sem partido, desde quando deixou o PSL, partido pelo qual se elegeu. Nesse período, Bolsonaro e aliados fracassaram na tentativa de criar uma legenda, a Aliança pelo Brasil, e foram estopim de rachas internos em partidos com os quais negociaram ingresso.

Nas últimas semanas, o chefe do Executivo tentou rebater eventuais críticas à sua ida para um partido do centrão. “Pessoal critica: ‘Ah, o cara está conversando com o centrão’. Quer que eu converse com o PSOL, com o PC do B, que não centrão?”, questionou o presidente, em entrevista ao portal bolsonarista Jornal Cidade Online.

Bolsonaro já passou formalmente por oito agremiações desde que se elegeu vereador, em 1988, e durante seus sete mandatos como deputado federal. O número é inflado, porém, pela constante alteração de nomenclatura e fusões na sopa de letras que forma o quadro partidário brasileiro desde a redemocratização.

A sopa de letrinhas da vida partidária de Bolsonaro

1988
É eleito vereador, aos 33 anos
o PDC (Partido Democrata Cristão) – sigla acabaria se fundindo em 1993 com o PDS de Paulo Maluf

1993
Em seu primeiro mandato como deputado federal
o PPR (Partido Progressista Reformador) – sigla surge da fusão do partido de Bolsonaro, o PDC, com o PDS, comandado por Maluf e principal herdeiro da Arena, o partido de sustentação do regime militar (1964-1985)

1995
Em seu segundo mandato como deputado federal
o PPB (Partido Progressista Brasileiro) – sigla nasce da fusão do partido de Bolsonaro, o PPR, com o PP (Partido Progressista), de breve existência –havia sido criado dois anos antes a partir da fusão de PTR (Partido Trabalhista Renovador) e PST (Partido Social Trabalhista)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

2003
Em seu quarto mandato como deputado federal
o PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) – Deixa o PPB para se filiar ao PTB de Roberto Jefferson. Ficaria na sigla por cerca de dois anos

2005
Em seu quarto mandato como deputado federal
o PFL (Partido da Frente Liberal) – tem breve passagem pelo partido presidido à época por Jorge Bornhausen. A sigla depois virou DEM e, agora, aprovou sua fusão ao PSL para virar União Brasil
o PP (Partido Progressista) – volta à sigla (que em 2003 mudou o nome de PPB para PP) pela qual, com outro nome, iniciou sua carreira política.

2016
Em seu sétimo mandato consecutivo como deputado federal
o PSC (Partido Social Cristão) – filia-se à sigla nanica já com o objetivo de disputar a Presidência da República

2018
Candidato à Presidência da República
o PSL (Partido Social Liberal) – depois de romper com o PSC e fracassar entendimentos para ingresso em siglas como o Patriota, se filia ao partido de Luciano Bivar, com quem também rompeu após a eleição

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

2019
Presidente da República
o Aliança pelo Brasil (em montagem) – após romper com o PSL, anuncia a criação do Aliança pelo Brasil. O projeto, porém, até hoje não obteve apoio popular suficiente para sair do papel








Você pode gostar