Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Bolsonaro: “Não vou dizer que no meu governo não tem corrupção”

Presidente tocou no assunto mesmo sem ter sido perguntado a respeito. Bolsonaro também falou em “mudar a mentalidade” do Brasil

Por Willian Matos 06/12/2021 10h58
Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro declarou nesta segunda-feira (6) que não é possível dizer que em seu governo não há casos de corrupção. A declaração foi dada a apoiadores no Palácio da Alvorada.

Bolsonaro tocou no assunto mesmo sem ser perguntado a respeito. “Não vou dizer que no meu governo não tem corrupção, porque a gente não sabe o que acontece na maioria das vezes”, declarou o presidente.

Em seguida, Bolsonaro disse que, “se tiver qualquer problema no meu governo, a gente vai investigar aí”. “Eu não posso dar conta de mais de 20 mil servidores comissionados, ministério com 300 mil funcionários. A grande maioria são pessoas honestas, ok?! Não há dúvida disso.”

Antes de falar em corrupção, o presidente havia falado em transformar a “mentalidade” do país. “O que tem que mudar é a mentalidade no Brasil. Se mudar a mentalidade, esse país vai embora”, declarou, mesmo sem ter sido perguntado sobre.

Combustível vai ter preço reduzido

Um dia antes, Bolsonaro afirmou que a Petrobras anunciará, nesta semana, uma série de reduções nos preços dos combustíveis. O chefe do Executivo, no entanto, não informou quais seriam os percentuais de redução e nem a partir de que dia a redução passará a valer.

O presidente também vem respondendo às críticas pelas altas dos combustíveis atacando governadores e a própria Petrobras. Em relação aos primeiros, costuma afirmar que os altos preços são consequência dos impostos estaduais, em particular do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços).

“Eu não reajustei, mantive congelado desde 2019, o valor do PIS/Cofins, que é o imposto federal. Os governadores mantiveram o percentual, que varia de acordo com o valor na bomba. E mais que dobraram o valor arrecadado com o ICMS. Querem criticar, critiquem. Mas a pessoa certa”, disse ainda ao site Poder360.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar