Mundo

Papa diz que entende irritação de muçulmanos

Por Arquivo Geral 09/10/2006 12h00

O papa Bento 16 deu outro passo na segunda-feira para reparar as relações com os muçulmanos, store this web dizendo que entende a indignação deles sobre seus controversos comentários e lhes garantindo seu respeito por sua “grande religião”.

A mais recente tentativa do papa de esclarecer seus comentários, feitos em uma palestra no dia 12 de setembro na Universidade de Regensburg, na Alemanha, estava em notas no discurso original publicado no site do Vaticano. Na palestra, o papa citou o imperador bizantino do século 14 Manuel 2o Palaeologus, segundo quem tudo o que o profeta Maomé havia legado era ruim, “como sua ordem para difundir pela espada a fé que ele pregava“.

Nas notas, o papa mais uma vez disse que seus comentários foram mal interpretados. “No mundo muçulmano, essa citação foi infelizmente entendida como uma expressão da minha posição pessoal, criando assim uma indignação compreensível”, disse ele em uma das notas. “Eu espero que aquele que lê meu texto possa ver imediatamente que essa frase não expressa minha opinião sobre o Corão, pelo qual tenho o respeito pelo livro santo de uma grande religião”, escreveu ele. “Eu queria apenas destacar a relação essencial entre fé e razão. Neste ponto estou de acordo com Manuel 2o, mas sem endossar sua polêmica”, escreveu o papa.

Quando ele fez seu discurso na Alemanha, o Vaticano disse que iria eventualmente publicar uma versão com notas. As notas foram pelo menos a quinta vez que o papa tentou retificar o discurso, que provocou protestos violentos em vários países muçulmanos e a pior crise internacional para o papa desde sua eleição em abril de 2005.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar