Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mundo

Merkel diz que todas as propostas para unir UE são bem-vindas

Por Arquivo Geral 28/06/2016 11h14

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, pediu hoje que a União Europeia debata todas as propostas que aproximem ainda mais os países-membros do bloco, após a inesperada decisão do Reino Unido de votar por sua saída da UE, em plebiscito realizado na semana passada.<p><p>"Há, obviamente, muitas propostas que às vezes são contraditórias. Elas vão de exigências para seguir em frente…com a integração europeia a sugestões para a devolução de competências aos países integrantes", disse Merkel ao Parlamento alemão.<p><p>Segundo Merkel, qualquer proposta que pode ajudar a tirar a UE da crise atual é "bem-vinda". "Qualquer proposta que fortaleça as forças centrífugas que estão desmembrando a UE teria consequências imprevisíveis para todos nós. Dividiria ainda mais a Europa", afirmou a chanceler.<p><p>O chamado "Brexit" gerou dois debates paralelos sobre como lidar com a saída do Reino Unido da UE.<p><p>Vários líderes da UE, incluindo o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, pediram que a integração europeia seja acelerada.<p><p>Mas algumas autoridades alemãs, incluindo o ministro de Finanças Wolfgang Schäuble, reagiram com ceticismo. Para Schäuble, qualquer iniciativa no sentimento de ampliar a integração geraria uma reação contrária dos eleitores.<p><p>Os comentários de Merkel vieram antes de uma reunião de cúpula de dois dias da UE, que terá início nesta terça-feira, para discutir a resposta inicial do bloco ao resultado do referendo britânico.<p><p>Sobre as negociações para a saída do Reino Unido, Merkel alertou que Londres não poderá escolher os aspectos que poderá manter de sua filiação à UE.<p><p>"Vamos garantir que as negociações não serão conduzidas de acordo com o princípio da escolha seletiva", disse Merkel. "Os que quiserem sair da família não podem esperar que todas as obrigações fiquem obsoletas, quais privilégios continuarão a existir", completou. Fonte: Dow Jones Newswires. <br /><br /><b>Fonte: </b>Estadao Conteudo








Você pode gostar