Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mundo

Londres e Bruxelas concordam em intensificar negociação sobre a Irlanda do Norte

Reino Unido e a União Europeia concordaram em “intensificar” os contatos para desbloquear as negociações sobre o complicado status pós-Brexit

O Reino Unido e a União Europeia concordaram nesta sexta-feira (14) em “intensificar” os contatos para desbloquear as negociações sobre o complicado status pós-Brexit da Irlanda do Norte, após um primeiro encontro “cordial” presencial entre os principais negociadores.

Buscando resolver um conflito que cria fortes tensões entre Londres e Bruxelas, ameaçando se transformar em uma guerra comercial, a chefe da diplomacia britânica, Liz Truss, recebeu o vice-presidente da Comissão Europeia, Maros Sefcovic, na quinta e sexta-feira no suntuoso palácio de Chevening, residência de campo dos chanceleres  nos arredores de Londres.

“A reunião ocorreu em uma atmosfera cordial”, disseram eles em um comunicado conjunto.

“Concordaram que os responsáveis se reunirão na próxima semana para intensificar as discussões”, acrescentaram, especificando que planejam se encontrar pessoalmente em 24 de janeiro e que “compartilham o desejo de uma relação positiva entre a UE e o Reino Unido”. 

Esta declaração contrasta com as emitidas no final das discussões anteriores, durante as quais Londres insistiu na persistência de grandes diferenças e renovou sua ameaça de suspender parte do controverso protocolo da Irlanda do Norte.

Este texto, arduamente negociado no contexto da saída do Reino Unido da UE, regulamenta o comércio naquela região britânica. 

O governo de Boris Johnson quer renegociá-lo a fundo, mas Bruxelas propõe apenas ajustes. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Falando à BBC após a reunião, Truss disse que quer chegar a uma “solução negociada”. 

“Mas se não fizermos progressos suficientes, teremos que estudar as alternativas”, alertou.

Respondendo a repórteres antes de embarcar no trem de volta a Bruxelas, Sefcovic disse que é “hora” de superar os problemas usando a mesma “flexibilidade” que ajudou a encontrar um compromisso no fornecimento de medicamentos para a Irlanda do Norte.

O protocolo, que entrou em vigor no início de 2021, confere à região um estatuto especial ao mantê-la no mercado único europeu e na união aduaneira. Seu objetivo é impedir o retorno de uma fronteira física com a vizinha República da Irlanda – país membro da UE -, o que poderia prejudicar a paz acordada em 1998 entre republicanos católicos e unionistas protestantes. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas, em contrapartida, impõe controles alfandegários e fitossanitários às mercadorias que chegam do resto do Reino Unido, o que, segundo os britânicos, causa dificuldades de abastecimento. 

*Agencia France Press








Você pode gostar