Mundo

Lojas em Taiwan se especializam em servir refeições para cães

Por Arquivo Geral 12/07/2006 12h00

Um homem-bomba entrou hoje em um restaurante no leste de Bagdá e detonou explosivos, search visit web matando sete pessoas e ferindo outras 20, segundo a polícia.

A explosão ocorreu quando o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Donald Rumsfeld, em uma visita não anunciada ao Iraque, mantinha uma reunião com líderes iraquianos e comandantes norte-americanos na fortificada Zona Verde, na capital.

Rumsfeld foi ao Iraque a fim de discutir o aumento da violência sectária, que provoca temores sobra a possibilidade de uma guerra civil.

Dezenas de pessoas foram mortas em ataques semelhantes ao de hoje desde a última sexta-feira no país.

Sobreviventes dos ataques a bomba em Mumbai lutam pela vida em hospitais lotados. Enquanto isso, page outros milhões de indianos lotam trens e ônibus para ir ao trabalho no centro financeiro do país.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pelo menos 183 pessoas morreram nos sete atentados a bomba quase simultâneos no sistema ferroviário de Mumbai ontem. Hoje investigadores procuram no meio dos vagões pistas sobre os responsáveis pelas explosões coordenadas. A suspeita recai sobre militantes com base no Paquistão que combatem o domínio indiano na Caxemira.

Os ataques de ontem, viagra 60mg em vagões de primeira classe e em estações, parecem ter sido direcionados ao centro do sucesso econômico da Índia. No entanto, horas depois, os moradores da cidade já haviam voltado ao trabalho e o mercado de ações mantinha-se estável. Quase 700 pessoas ficaram feridas nas explosões, ocorridas em um espaço de 11 minutos.

"A meu ver, os ataques em Mumbai podem ter sido inspirados pelos ataques em Londres e Madri", acredita Peter Lehr, no Centro de Estudos do Terrorismo e da Violência Política na Universidade St. Andrews, da Grã-Bretanha, ao jornal Times of India. "É uma tentativa para instilar o medo e o terror nas mentes das pessoas e provocar uma nova onda de violência entre hindus e muçulmanos. Mas nisso eles falharam miseravelmente".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Foram enviados mais policiais a estações de trens, parques, mercados e instituições religiosas em toda a Índia para evitar novos ataques. Também foram armados postos de controles nas ruas principais das maiores cidades.

As explosões ocorreram horas depois de uma série de atentados com granadas contra turistas em Srinagar, capital da Caxemira indiana. Na ação, oito pessoas morreram.

A polícia da Caxemira culpou o grupo militante Lashkar-e-Taiba. A milícia, segundo autoridades, tem apoio do Paquistão e também foi responsável pelas explosões em mercados lotados de Nova Délhi, que em outubro. Nesse outro ataque, 60 pessoas foram mortas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo fontes de segurança não identificadas citadas por jornais, O Lashkar é o principal suspeito das explosões em Mumbai.

O Paquistão, que nega as acusações indianas de apoio tácito aos militantes, condenou a ação em Mumbai e a chamou de "ataque terrorista".

O presidente do Irã, pills Mahmoud Ahmadinejad, pill disse hoje que o país está pronto para conversar, em uma "atmosfera propícia", com todos os interessados sobre seu programa nuclear. Porém, ele reafirmou que não vai desistir do que considera ser direito dos iranianos.

"Se a atmosfera for propícia, estaremos preparados para negociar com todos", declarou ele, segundo a agência de notícias estudantil do Irã ISNA. "Nossa nação não recuará nem um centímetro de seus direitos em assuntos mundiais", acrescentou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Autoridades iranianas geralmente se referem ao enriquecimento de urânio como um dos direitos do país.

O estado de São Paulo voltou a registrar ataques entre o final da noite de ontem e a madrugada de hoje. Os atentados foram a agências bancárias, information pills bases policiais, supermercados, concessionárias e a agentes ligados à segurança. Até agora, quatro pessoas foram mortas e um policial militar ficou ferido na troca de tiros com bandidos.

Duas das mortes ocorreram por volta das 0h, na cidade de São Paulo. O PM Odair Lorenzi, 29 anos, e a irmã dele, Rita de Cássia Lorenzi, 38 anos, foram fuzilados por desconhecidos ao atender a porta de casa. Durante a perseguição aos bandidos envolvidos nesse crime, um policial ficou ferido.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As outras duas mortes foram no litoral do estado. Dois seguranças particulares foram assassinados em diferentes lugares. Há, ainda, registros de que doze ônibus foram queimados desde o final da noite de ontem na capital e na baixada Santista.

Os ataques parecem ser uma reação criminosa à prisão de Emivaldo Silva Santos, apontado como líder do Primeiro Comando da Capital (PCC) no ABC paulista. Ele foi detido na noite de ontem, na rodovia Imigrantes.

Leia também:
Lembo recusa nova ajuda de tropas oferecida por Lula
Polícia registra 48 ataques e cinco mortes em São Paulo
Três agências bancárias são atacadas em São Paulo 
Lula diz que São Paulo está aterrorizado com crime organizado
Nova série de ataques deixa cinco mortos e ônibus incendiados em São Paulo
São Paulo tem novos ataques e quatro pessoas morrem

 

 

Um grupo de alunos da Universidade de Brasília (UnB) protocolou, online na reitoria da instituição, link uma denúncia de racismo contra o professor do Instituto de Ciência Política Paulo Kramer. Segundo os estudantes, cost ele teria pronunciado a expressão “crioulada” durante uma aula de Teoria e Política Moderna do programa de pós-graduação em ciência política.

A palavra teria sido usada quando Kramer explicava as políticas assistencialistas implantadas para os negros nos Estados Unidos durante a década de 1960. A expressão provocou discussão entre o professor e alguns alunos que, mais tarde, decidiram relatar o caso em uma carta ao reitor Timothy Mulholland.

Kramer se defendeu dizendo que fez o uso da palavra para chamar a turma à reflexão. O documento entregue na reitoria foi enviado ao departamento jurídico da UnB, que resolverá a questão. O professor pode sofrer desde uma advertência verbal à expulsão do cargo.

A indústria brasileira aposta que a tendência de reaquecimento da atividade iniciada na virada do ano deve persistir. Isso pemitirá uma melhora nos negócios ao longo do segundo semestre do ano, visit web revela sondagem da Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgada hoje.

"As avaliações dos empresários industriais em relação à situação presente revelam um quadro mais favorável em julho deste ano que o registrado no mesmo período de 2005", sales afirma a FGV em relatório.

Para 12% dos entrevistados, a demanda por produtos industriais está forte, enquanto 24% consideram esta demanda fraca. Em julho de 2005, oito% dos entrevistados disseram que a demanda estava forte, enquanto 29% a classificaram como fraca. 

A situação atual dos negócios é apontada como boa por 16% dos entrevistados, ante 27% que a consideram fraca. Ainda assim, as perspectivas futuras são mais positivas.

"As previsões para os próximos meses são mais otimistas do que as formuladas em julho de 2005 em quase todos os quesitos", destacou a FGV.

Das 513 empresas consultadas pela Fundação, 43% disseram esperar um aumento na demanda por produtos industriais no terceiro trimestre do ano. Nesse mesmo período, o número de postos de trabalho no setor deve ser elevado, segundo avaliaram 25% dos empresários consultados.

A expectativa em relação aos próximos seis meses também vai na mesma linha. Para 54% dos entrevistados, a situação dos negócios deve melhorar ao longo do segundo semestre do ano. Apenas 11% esperam uma piora.

A coleta de dados foi feita entre os dias 29 de junho e 10 de julho.

Um crime bárbaro chocou os moradores do Lago Sul no noite de ontem. O engenheiro civil e ex-funcionário do GDF, pilule Paulo José Alves, buy more about 60 anos, foi assassinado com três tiros na cabeça, em sua casa no conjunto 1 da QI 27, na noite de ontem. Os filhos de Paulo encontraram o corpo do pai, por volta das 22h, escondido embaixo da cama, no quarto da empregada doméstica Ludmila Dias Silva, que morava na casa, mas não foi encontrada.

O engenheiro era divorciado e morava com um dos dois filhos que teve em seu casamento. Ludmila trabalhava e morava na residência. Segundo informações de conhecidos da família, a jovem ganhava folga a cada 15 dias.

De acordo com a filha do ex-funcionário do GDF, Rafaella Teles Alves, 23 anos, a família começou a sentir falta de Paulo por volta das 20h30, quando seu irmão, Paulo Filho chegou em casa e não encontrou ninguém. Ambos procuraram em toda a casa e juntos, entraram no quarto e encontraram o corpo do pai, embaixo da cama, no quarto de Ludmila.

A polícia foi acionada e começaram as investigações preliminares no local do crime. Dentro da casa foi encontrada uma espingarda. Um pano sujo de sangue foi achado em um saco, em uma lixeira próxima à residência. O revólver calibre 38 que Paulo guardava em casa, não foi encontrado.

A filha Rafaella disse que o pai não tinha inimigos. Que há pouco tempo pediu demissão do GDF porque não gostava de trabalhar como empregado. E como estava trabalhando por conta própria, passava a maior parte do tempo em casa.

Atualização:
Doméstica confessa ter matado engenheiro por causa de discussão

Confira mais detalhes sobre o crime na edição de quinta-feira do Jornal de Brasília

A Síria disse hoje que Israel foi responsável por uma operação do Hizbollah na qual dois soldados israelenses foram capturados. "A ocupação é o que provoca os povos palestino e libanês", pills acredita o vice-presidente, web Farouq al-Shara. "A resistência no sul do Líbano e entre o povo palestino decide, nurse sozinha, o que fazer e por quê".

A Síria apóia as exigências do Hizbollah, um grupo xiita também apoiado pelo Irã, para que Israel saia das Fazendas de Shabaa. A área fica perto das Colinas de Golã e as Nações Unidas dizem ser síria. A Síria, no entando, descreve a região como libanesa.

O Estado sírio também apóia a exigência do grupo para que Israel liberte vários prisioneiros libaneses que mantém em suas prisões, incluindo um que está detido há mais de 20 anos.

Shara não disse se achava que Israel lançaria um ataque contra a Síria em retaliação à operação do Hizbollah.

Israel já deu a entender que poderia assassinar membros da liderança do Hamas no exílio na Síria, depois que a ala militar do movimento palestino participou de um ataque onde um soldado israelense foi seqüestrado, no dia 25 de junho. 

O presidente da Rússia, this Vladimir Putin, sickness tenta amenizar eventuais críticas do Grupo dos Oito (G8) sobre a falta de democracia em seu país. Ele afirmou hoje que os ataques do Ocidente misturam parâmetros da Guerra Fria com uma postura neocolonialista.

Em entrevistas concedidas a canais de TV da França, this do Canadá e dos Estados Unidos, Putin rebateu as acusações de que seu governo adota medidas antidemocráticas e disse que a Rússia avançará em seu próprio ritmo.

E, num aparente sinal da insatisfação com que encara críticas sobre seu governo, Putin fez uma piada sobre o acidente de caçada envolvendo o vice-presidente norte-americano, Dick Cheney. Cheney atirou no advogado dele sem querer e provocou-lhe um ataque cardíaco.

"Acho que esses comentários feitos pelo vice-presidente de vocês foram um tipo de acidente de caça", afirmou à rede NBC quando instado a comentar as declarações de Cheney. O vice-líder dos EUA acusou a Rússia de minar a democracia e de usar as reservas de combustível para pressionar seus vizinhos.

São Petersburgo se prepara para sediar a cúpula de líderes do G8 (que reúne os sete países mais industrializados do mundo, mais a Rússia) entre os dias 15 e 17 de julho.

Apesar de a segurança no fornecimento de combustível ser o principal foco do encontro, diplomatas afirmam que o líder do Kremlin ouvirá, em encontros bilaterais, críticas de alguns de seus colegas do grupo devido ao desempenho dele na democracia.

"Estou preocupado com a possibilidade de essa postura basear-se em uma filosofia do século XX, quando nossos parceiros sempre pretenderam prejudicar a Rússia, vista como um adversário político ou mesmo como um inimigo. Trata-se de um rescaldo da forma de pensar da Guerra Fria", declarou Putin.

A cúpula reunirá os líderes de Rússia, EUA, Grã-Bretanha, Canadá, França, Alemanha, Itália e Japão.

Opositores afirmam que, desde a eleição de Putin, em 2000, o presidente russo vem cerceando as conquistas democráticas obtidas pelo país nos anos 1990. Segundo essas críticas, o governo fechou órgãos de imprensa, pressionou empresários independentes, limitou a atuação do Judiciário e abalou os partidos e os políticos da oposição.

Em uma nova onda de violência, more about o estado de São Paulo sofreu mais de 20 ataques criminosos entre a noite de ontem e a manhã de hoje, see com pelo menos cinco mortos, ônibus incendiados e ações contra alvos de segurança e civis, segundo a polícia.

Na cidade de São Paulo, um soldado da Polícia Militar foi baleado ao sair de casa, na zona norte da cidade, de acordo com a polícia. Sua irmã, que saiu à janela no momento do ataque, também foi atingida e morta.

Segundo a polícia, ofici ais trocaram tiros com os criminosos no local do incidente, e um dos policiais acabou sendo atingido, mas está fora de perigo.

Na noite de ontem, em São Vicente, no litoral paulista, o filho de um carcereiro foi baleado. Ele foi encaminhado para um pronto-socorro da região, mas acabou morrendo. No Guarujá, no litoral sul de São Paulo, dois seguranças particulares foram mortos durante a madrugada.

Os ataques a alvos das forças de segurança do estado incluíram delegacias, bases da Polícia Militar e postos da Guarda Civil Metropolitana.

Por volta das 2h30 da manhã, foram dispara dos vários tiros contra bases da Polícia Militar no bairro de Santa Cecília, na região central da cidade de São Paulo, e no Jardim Morumbi, na zona sul. Segundo a polícia, nos dois casos não houve feridos.

Na zona leste da cidade, homens armados atacaram duas bases da Guarda Civil Metropolitana, em Cidade Tiradentes e Guaianases.

Na região metropolitana de São Paulo, o 2º Distrito Policial de Suzano foi metralhado durante a noite e a delegacia e a Câmara Municipal de Santa Isabel foram alvo de rajadas de tiros. Em ambos os casos não houve feridos.

Além das forças de segurança, os ataques também tiveram como alvo agências bancárias, supermercados e ônibus municipais.

Na capital, três ônibus foram incendiados na região de Pirituba, segundo a São Paulo Transporte (SPTrans). Na cidade vizinha de Ferraz de Vasconcelos, criminosos atearam fogo em um ônibus municipal, por volta das 4h30 da manhã, informou a assessoria de comunicação da prefeitura.

Um ônibus também foi queimado em Santos, por homens armados que renderam o motorista e o mandaram descer, para depois atearem fogo ao veículo, disse a polícia. Ninguém ficou ferido.

O Corpo de Bombeiros atendeu ocorrências de incêndio na zona sul de São Paulo, em que uma agência do banco Itaú foi atacada, e no centro, o alvo foi outra agência, do Bradesco. Na zona leste, uma agência do Itaú foi metralhada durante a madrugada, informou a polícia.

Houve ainda uma tentativa de incêndio em um galpão da uma rede de supermercados, no bairro da Bela Vista, na capital, e em um supermercado, na região central, que foi alvo de vários disparos por homens que fugiram a pé, segundo a polícia.

Duas revendedoras de automóveis no Guarujá e uma na cidade de Santa Isabel também foram danificadas, mas ninguém ficou ferido.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo ainda não se pronunciou sobre os ataques nem informou se teriam sido perpetrados pela facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), responsabilizada pela onda de violência do mês de maio, em São Paulo.

Leia também:
Lembo recusa nova ajuda de tropas oferecida por Lula
Polícia registra 48 ataques e cinco mortes em São Paulo
Três agências bancárias são atacadas em São Paulo 
Lula diz que São Paulo está aterrorizado com crime organizado
Nova série de ataques deixa cinco mortos e ônibus incendiados em São Paulo
São Paulo tem novos ataques e quatro pessoas morrem

 

Atualizada às 17h08 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva colocou em xeque hoje o controle da onda de violência pelo governo do estado de São Paulo, nurse após o governador Cláudio Lembo (PFL) rechaçar mais uma vez ajuda das forças federais. "Eles dizem que não precisam (de ajuda federal) e eu parto do pressuposto que eles dizem que têm controle. Mas, sickness se têm controle, case não poderia estar acontecendo o que está acontecendo", disse ele a jornalistas durante a 2ª Conferência de Intelectuais da África e da Diáspora realizada em Salvador.

"Enquanto o governador não disser que precisa, nós não podemos fazer nada porque não temos como fazer intervenção e não queremos fazer intervenção", completou Lula.

O presidente comentou sobre a oferta da Força Nacional e do Exército pela manhã, e, em seguida, Lembo, ao recusar a sugestão, disse em nota que o reforço policial "não é oportuno nem necessário".

Lula afirmou ainda que o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, vem conversando com Lembo sobre a escalada da violência e que haverá nova reunião amanhã.

"O ministro da Justiça tem tratado isso diretamente com o governador. Na hora em que eles acharem que é oportuno, que nos digam", disse Lula.

Dois meses depois da onda de violência que atingiu São Paulo, o Estado foi alvo, entre a noite de ontem e a manhã de hoje, de novos ataques. Quase 50 ataques criminosos deixaram pelo menos cinco mortos e envolveram prédios públicos e privados. Ônibus foram incendiados e houve ações contra alvos de segurança e civis.

Em maio, na primeira onda de ataques promovidos pela facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), quando 165 pessoas morreram (entre policiais e suspeitos), Lembo já havia recusado a ajuda federal.

O presidente Lula afirmou ainda que São Paulo está "aterrorizado" com a nova onda de ataques cometidos pelo crime organizado. "Os bandidos não estão preocupados se vai ter eleições ou não. Eles estão aterrorizando São Paulo e temos de tomar atitudes", disse.

Ele se mostrou insatisfeito com a possibilidade de a resistência do governador ter razão política em ano eleitoral. "Então vamos criar um país de mudos, porque não se pode falar nada."

O presidente lembrou que as forças federais já atuam no Espírito Santo e no Mato Grosso do Sul.

"Aí quem sabe São Paulo possa querer utilizar (o Exército e a Força Nacional). Se São Paulo continua achando que a situação está normal, que pode dar conta da situação, o governo federal não pode fazer nada", disse Lula.

O presidente afirmou que, de acordo com o que vê na imprensa, a situação não é de normalidade no estado.

Lula fez um breve discurso na abertura da conferência, onde estavam presentes autoridades, intelectuais e personalidades negras. Entre eles, o ministro da Cultura, Gilberto Gil, o cantor norte-americano Stevie Wonder e o presidente da comissão da União Africana, Alpha Oumar Konare.

Leia também:
Lembo recusa nova ajuda de tropas oferecida por Lula
Polícia registra 48 ataques e cinco mortes em São Paulo
Três agências bancárias são atacadas em São Paulo 
Lula diz que São Paulo está aterrorizado com crime organizado
Nova série de ataques deixa cinco mortos e ônibus incendiados em São Paulo
São Paulo tem novos ataques e quatro pessoas morrem

 

O vencedor das eleições presidenciais no México, sildenafil o governista Felipe Calderón, stuff escolheu hoje dois de seus colaboradores próximos para serem os encarregados da montagem da equipe de transição de governo. Ao mesmo tempo, medical a esquerda, derrotada nas urnas, prepara mais protestos contra o resultado do pleito.

Calderón venceu com uma pequena margem de votos as eleições do dia 2 de julho, batendo Andrés Manuel López Obrador. O esquerdista acusou o governo de fraude e exige uma nova recontagem voto a voto para saber quem é o próximo presidente mexicano.

"Eu ganhei a eleição e o que vou provar é que recebi mais votos", disse L ópez Obrador, em entrevista concedida a um canal de TV. "Se eles ganharam, por que têm medo da recontagem? Na democracia, a regra de ouro é a transparência".

Calderón, que foi cumprimentado por alguns governos de outras partes do mundo, apresentou Juan Camilo Mourino como coordenador da equipe de transição e anunciou que visitará várias regiões do país para agradecer o apoio recebido.

Mourino foi um dos dois chefes de campanha do conservador e era subsecretário de Energia quando o candidato ocupava o cargo de ministro do setor no atual governo do presidente Vicente Fox.

A equipe de transição é a responsável por manter um contato próximo com o governo em final de mandato e prepara o processo de entrega e tomada da administração federal.

"Ganhamos de forma limpa e chegou a hora da reconciliação nacional", disse Calderón. Em uma entrevista coletiva, ele apresentou outro chefe de campanha, Josefina Vázquez Mota, como encarregada da interlocução com as demais forças políticas do país.
Vázquez Mota foi secretária de Desenvolvimento Social no governo de Fox, que termina no dia 1º de dezembro.

Partidários de López Obrador preparam para começar hoje uma passeata convocada pelo candidato. Manifestantes devem sair de várias partes do país antes de se reunirem na principal praça da Cidade do México. Ali, no domingo, o candidato prevê realizar um grande comício. O ato será semelhante ao ocorrido no fim de semana passado, quando mais de 100 mil pessoas se reuniram para exigir uma nova contagem "urna por urna, voto por voto".

O esquerdista apresentou ontem mais vídeos para provar que houve um "preenchimento" de urnas logo depois das eleições. Obrador afirmou que até representantes de seu partido nos locais de votação foram subornados para participar da fraude.

O esquerdista, ex-prefeito da Cidade do México, afirmou que chegará com o movimento de resistência civil "até onde quisermos". Segundo ele, a eleição poderá ser anulada se as irregularidades encontradas não permitirem ao Tribunal Eleitoral declará-la como válida.

"Se as anomalias que serão encontradas, e certamente serão encontradas, não permitirem considerar o pleito válido, o procedimento a ser adotado é o cancelamento da eleição, a nulidade da eleição", disse.

Um cachorro se delicia com um prato de sorvete e frutas servido em um pet shop especializado em guloseimas para os caninos, this web em Taipei, Taiwan. A cada dia cresce o número de lojas desse tipo no país.






Você pode gostar