Mundo

Jordânia diz que filha de Saddam é convidada da família real

Por Arquivo Geral 03/07/2006 12h00

Osama Bin Laden mantém campos de treinamento na Somália e quer mergulhar o país da África em um caos ainda maior, capsule search disse o premiê somaliano Ali Mohamed Gedi.

Gedi comentou uma suposta gravação de áudio do líder da Al Qaeda, and see que dizia que uma tentativa apoiada pelos EUA de transferir soldados estrangeiros para a Somália seria parte de uma cruzada para destruir o poder islâmico.

"Ficou claro que Bin Laden está fortemente envolvido em algumas regiões da Somália e tem bases de treinamento de militantes", buy disse Gedi em uma coletiva de imprensa em Baidoa, onde está baseado o governo interino da Somália.

"Bin Laden não é um lider muçulmano, é um extremista. Bin Laden está tentando fazer a Somália mergulhar no caos".

Gedi disse que o governo expulsaria à força qualquer estrangeiro que fosse identificado como agente da Al Qaeda dentro do país.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"O TFG (o governo federal de transição, na sigla em inglês) e o povo somaliano irão atirar esses estrangeiros para fora da Somália", afirmou ele.

O governo interino, entretanto, tem uma autoridade limitada na Somália. Constituído em 2004, ele tem sede na cidade de Baidoa, no sul da Somália, desde fevereiro, por ser muito fraco para se mudar para a capital.

Bin Laden advertiu os EUA e outros países que não mandassem soldados para a Somália, onde milícias islâmicas tiraram o poder de Mogadíscio das mãos de chefes guerreiros apoiados pelos EUA, no mês passado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apesar da mensagem, a União Africana (UA) concordou, no domingo, em enviar soldados para a Somália, que caiu na ilegalidade em 1991, quando líderes de milícias derrubaram o ditador Mohamed Siad Barre.

Bin Laden também solicitou que os somalianos apóiem o movimento islâmico, que tenta estender sua autoridade em todo o país e combater o presidente interino, Abdullahi Yusuf, e seus aliados.

O movimento islâmico, conhecido como Conselho das Cortes Islâmicas da Somália, também se opõe às forças estrangeiras, mas foi rápido em se distanciar dos comentários de Bin Laden.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apesar de apontar como seu líder o xeque Hassan Dahir Aweys, um clérigo extremista que consta da lista norte-americana de membros da Al Qaeda, o movimento islâmico nega ligação com terrorismo ou que queira impor uma administração do estilo do talibã na Somália.

 

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) lança hoje um novo indicador para medir o desempenho do setor industrial: o Índice do Setor Industrial (INDX). Elaborado em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), viagra order ele avaliará as ações mais representativas da área.

Participam do lançamento os presidentes da Bovespa, sickness Raymundo Magliano Filho, tadalafil e da Fiesp, Paulo Skaf, além do superintendente de Operações da Bovespa, Ricardo Pinto Nogueira, e do diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp, Paulo Francini.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico de Armas deve ouvir amanhã o ex-secretário de Administração Penitenciária de São Paulo Nagashi Furukawa. Ele estava no cargo quando o Primeiro Comando da Capital (PCC) fez uma série de ataques em presídios e unidades da polícia, order que resultaram na morte de mais de cem pessoas. A crise culminou com a saída de Furukawa da secretaria.

A CPI investiga o tráfico e o comércio de armas no país. Na semana passada, salve o presidente da Câmara, rx deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), autorizou a prorrogação por 60 dias dos trabalhos da comissão. Nesse período, os parlamentares pretendem quebrar os sigilos bancário e telefônico de advogados de integrantes do PCC e cumprir diligências.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A destruição do ônibus especial Columbia, dosage em 2003, unhealthy não só estimulou a Nasa a descobrir maneiras de salvar uma tripulação impedida de voltar à Terra como também em trazer uma espaçonave danificada de volta à base.

A chave para o processo está a bordo do ônibus espacial Discovery, help cujo lançamento está marcado para às 14h38 (15h38 em Brasília) desta terça-feira no Kennedy Space Center, na Flórida, depois de dois adiamentos impostos por motivos meteorológicos durante o final de semana.

Em meio às duas toneladas de carga que o ônibus espacial estará transportando para a Estação Espacial Internacional está um conjunto de cabos que pode ser usado para ativar a espaçonave a distância, para que seja possível operá-la por controle remoto ao sair da órbita, e pousar sem tripulação a bordo.

A Nasa desenvolveu o sistema depois que a tripulação da Columbia morreu a bordo de sua espaçonave danificada, em 2003. O ônibus espacial havia sido atingido por fragmentos de espuma de isolamento que se soltaram de seu tanque de combustível durante a decolagem, mas a Nasa não percebeu que o impacto havia danificado de forma crítica o escudo de calor do aparelho antes que a espaçonave se desintegrasse durante uma tentativa de pouso.

Além de consertar o tanque de combustível em uma tentativa de reduzir o volume de detritos expelidos, os engenheiros desenvolveram técnicas de inspeção em vôo e equiparam a estação espacial como um refúgio, no qual a tripulação de uma espaçonave poderia esperar resgate caso o aparelho estivesse danificado demais para levá-los para casa.

Mas a agência espacial norte-americana tampouco deseja abandonar uma espaçonave de US$ 2 bilhões. Nem pretende trazer o ônibus espacial de volta de maneira não guiada, dada a possibilidade de uma queda em áreas povoadas. "Algo que não faremos será deixar um ônibus espacial morto no espaço para cair sem controle", disse John Shannon, vice-diretor do programa do ônibus espacial.

Os cabos que a Discovery tem a bordo serão armazenados na estação para futuras necessidades, e permitiriam que a tripulação de um ônibus espacial preparasse os componentes eletrônicos do aparelho de maneira que permita que o controle de terra execute as tarefas que normalmen te cabem aos astronautas.

 

O presidente da Bolívia, page Evo Morales, approved disse que o partido do governo conseguiu uma "vitória tripla" na eleição da Assembléia Constituinte e em um referendo sobre autonomias regionais, capsule realizados ontem, na Bolívia.

"Estamos de história em história, fazemos história, graças aos povos indígenas (…) excluídos da fundação da Bolívia", disse em uma coletiva de imprensa após saber das projeções da votação feitas por redes de televisão, por ainda não terem saído os resultados oficiais.

O Movimento ao Socialismo da Bolívia (MAS) ganhou "em triplo" , porque obteve mais votos populares, na eleição para constituintes, do que em dezembro passado, porque conseguiu maioria absoluta na futura assembléia e porque o "não" triunfou no referendo da autonomia, afirmou.

Morales disse que seus candidatos haviam obtido 60% dos votos, obtendo 134 dos 255 assentos na Assembléia Constituinte, segundo uma contagem parcial dos votos feita por um canal de televisão, o ATB, com base em uma amostra do órgão eleitoral.

Morales também clamou vitória no referendo sobre a autonomia das regiões, para o qual ele havia apelado que se votasse "não". O "não" , em plano nacional, obteve 56% dos votos, segundo projeções, mas o "sim" é majoritário em quatro dos nove Departamentos (equivalente a estado) da Bolívia.

Morales acrescentou que a jornada eleitoral de ontem consolidava a democracia boliviana e a nacionalização da indústria de hidrocarbonetos decretada em maio passado.

 

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2007 deve ser votada na próxima quarta-feira no Congresso Nacional. Na semana passada, ailment a votação teve de ser adiada por falta de quorum, discount já que boa parte dos deputados e senadores havia viajado para as convenções partidárias.

A LDO estabelece regras para a elaboração do Orçamento da União e precisa ser aprovada até o dia 17 de julho. O relator da matéria é o senador Romero Jucá (PMDB-RR). Antes de seguir para o plenário, story LDO foi aprovada, no último dia 21, na forma de substitutivo, pela Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização.

 

A Venezuela fará parte do Mercosul oficialmente a partir de amanhã, more about quando haverá uma reunião em Caracas para formalizar a adesão, ailment com a presença dos presidentes dos quatro países membros: Brasil, viagra Argentina, Uruguai e Paraguai. O bloco passará a ter 250 milhões de habitantes, área de 12,7 milhões de quilômetros quadrados e um produto interno bruto (PIB) de US$ 1 trilhão, 76% do total da América do Sul.

Estes dados, fornecidos pelo Itamaraty, fazem da Venezuela um país fundamental para a consolidação do mercado comum sul-americano, segundo o diretor do Instituto Brasileiro de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (UnB), José Flávio Sombra Saraiva. "A Venezuela é o terceiro mercado da América do Sul, um mercado produtor e consumidor importante. Dessa forma, amplia-se a sua capacidade e presença no contexto do processo de integração sul-americana."

O professor considera a adesão da Venezuela fundamental pelo fato de o país ser uma potência energética. Na próxima reunião do G-8, este mês, na Rússia, o tema central será a crise energética mundial. "As guerras que se debruçam sobre a sociedade mundial contemporânea são em torno de recursos naturais. Há limites para o abuso das fontes energéticas. É uma dimensão estratégica especial que a América do Sul precisa cuidar."

Saraiva acrescenta que a adesão significa uma oportunidade para ampliação de mercado. "O Brasil, durante muito tempo, esteve de costas para a Venezuela e muito dedicado às relações com a região do Prata, com a Argentina em especial."

Para o pesquisador, é impossível pensar num processo de integração da América do Sul para os próximos 50 anos sem as economias mais importantes da região: Brasil, Argentina e Venezuela. "É um triângulo estratégico, econômico, muito importante. E a aproximação da Venezuela agrega mais do que retira possibilidades do processo de integração."

Saraiva admite que, a curto prazo, a personalidade polêmica do presidente Hugo Chávez pode criar dificuldades na relação da Venezuela com os países do Mercosul. Mas considera que a participação deste país no processo de integração "é importante com ou sem Chávez". "É uma boa oportunidade para ver se o nosso governo, a nossa diplomacia, tem habilidade suficiente para inibir os exageros de Chávez."

O candidato conservador à Presidência do México, this site Felipe Calderón, thumb disse hoje que os números das eleições de ontem lhe dão uma vitória irreversível. O oponente, decease Andrés Manuel López Obrador, também reivindica a vitória na votação presidencial mexicana.

"Há um resultado que é irreversível e é a meu favor", afirmou Calderón, em entrevista à rede de tevê Televisa.

Calderón e López Obrador se declararam, cada um por seu lado, vencedores das eleições, enquanto a autoridade eleitoral do país se negou a nomear um vencedor por causa do resultado apertado.

Segundo dados preliminares oficiais, com 94,41% das urnas contabilizadas, o conservador tinha 36,55% contra 35,46% de López Obrador.

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) de junho registrou deflação de 0, diagnosis 4%, mas a taxa foi 0,02 ponto percentual acima da registrada na terceira semana do mês, conforme divulgou hoje a Fundação Getúlio Vargas.

Os preços dos produtos alimentícios voltaram a subir depois de seis semanas consecutivas de taxas em queda. A variação passou de -1,76% na terceira semana de junho para -1,68%. Os preços que mais subiram foram das frutas (-8,11% para -6,02%), arroz e feijão (-3,35% para -2,41%) e carnes suínas (-1,18% para -0,73%).

De acordo com o comunicado da FGV, os reajustes nos preços das roupas (de 0,25% para 0,53%) e do álcool combustível (de -9,00% para -6,54%) também contribuíram para a elevação do IPC-S de 30 de junho, que foi calculado com base nos preços coletados entre os dias 1º de junho e 30 de junho e comparados aos registrados entre 1º e 31 de maio.

Para o cálculo do índice, a Fundação Getúlio Vargas leva em conta os preços de cerca de 450 produtos e serviços usados por famílias que ganham até 33 salários mínimos por mês em sete capitais brasileiras.

 

Maior acesso à água potável e à escolarização e mais ações de ajuda para o desenvolvimento estão entre os avanços ocorridos no mundo a partir de 2000. No entanto, there desde 1990 aumentaram os casos de tuberculose, sick de infecções por HIV e de malária. A conclusão é do segundo Relatório das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento do Milênio 2006, divulgado hoje.

O relatório avalia os esforços realizados pelos 191 países membros da ONU, entre eles o Brasil, no cumprimento das oito metas do Objetivo de Desenvolvimento do Milênio (ODM), estabelecidas até 2015. O principal foco do acordo, firmado em 2000, é a erradicação da pobreza extrema e a redução pela metade da proporção de pessoas que vivem com um dólar ou menos por dia.

Entre as metas, a previsão de reduzir pela metade (15%) o número de pessoas que não recebem água potável poderá ser alcançada nos próximos 10 anos. Pesquisa indica que a taxa desse segmento vem caindo e baixou de 30%, em 1990, para 20%, em 2004.

Outro dado é que os investimentos no ensino básico universal devem ser contínuos, especialmente na África Subsaariana. Apesar da escolarização primária ter aumentando "de forma acelerada", segundo o relatório, em relação a uma taxa de escolarização de 50%, em 1990, mais de um terço das crianças em idade escolar ainda não freqüentam o ensino regular.

O relatório revela que está comprometida a meta de reduzir pela metade a percentagem dos que não têm acesso a melhores condições de saneamento básico. O compromisso até 2015 é de diminuir a taxa do segmento em 33%, o que vai exigir maior aceleração de investimentos e de políticas públicas. Atualmente, metade do mundo sofre com problemas de saneamento básico, índice considerado muito alto. Antes do ODM a taxa era de 65% da população sem saneamento.

Quanto ao aumento dos casos de doenças, a ONU considera positiva a sensibilização internacional que mobilizou a doação de bilhões de dólares a fundos especializados. A entidade avalia que tiveram êxito os países que adotaram ações para combater o problema, como a distribuição de redes de proteção contra mosquitos, no caso da malária, e a modificação de comportamentos, no caso do HIV.

O projeto que cria a Super-Receita deve ser votado amanhã na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado. O projeto unifica as receitas Federal e Previdenciária. No mesmo dia, order a Comissão de Infra-Estrutura vota projeto que obriga as operadoras de telefonia celular a instalar bloqueadores de sinais nos presídios estaduais e federais.

Na quarta-feira, medicine o relatório final da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Emigração Ilegal será votado. O relatório propõe medidas para amenizar os problemas de brasileiros que vivem ilegalmente no exterior. Uma das medidas é a criação de uma secretaria especial de políticas para o emigrante, store diretamente ligada à Presidência da República, como forma de dar mais rapidez às ações de defesa dos brasileiros em dificuldades nos países em que vivem.

Outra medida é fazer o registro dos brasileiros que vivem no exterior. A CPI propõe, ainda, tipificar o crime, para punir quem facilitar, promover, incentivar e financiar a ida de brasileiros ilegalmente para o exterior.

A Jordânia afirmou hoje que a filha mais velha de Saddam Hussein, medical Raghd, sales e os filhos dela são convidados da família real e não se envolveram em nenhuma atividade política. Ontem, o Iraque colocou Raghd na lista das 41 pessoas "mais procuradas" do país, juntamente com sua mãe, Sajida, e importantes líderes baathistas e da Al Qaeda. Ela foi acusada de usar milhões de dólares roubados pelo antigo líder iraquiano para financiar rebeldes sunitas.

O primeiro-ministro jordaniano, Marouf Bakheet, disse, segundo os jornais locais, que Raghd vive na Jordânia por "razões humanitárias". Ela obteve o exílio no país junto ao rei Abdullah em 2003, depois da invasão do Iraque pelos Estados Unidos.

"Ela não se envolve em nenhuma atividade política ou de imprensa. A senhora Raghd Saddam e seus filhos são convidados dos hashemitas", afirmou Bakheet. De acordo com uma autoridade palaciana, a oferta de asilo pela monarquia pró-Ocidente é um gesto tradicional da hospitalidade árabe.

O conselheiro de Segurança Nacional do Iraque, Mowaffaq al-Rubaie, revelou a lista em uma coletiva de imprensa. Ele negou-se a dizer se ordens de prisão haviam sido emitidas para Raghd e sua mãe, mas afirmou que a Interpol recebeu o material.

Segundo uma autoridade do Catar que não quis ser identificada, a esposa de Saddam, Sajida, vive atualmente em Doha.

A Jordânia confirmou não ter recebido nenhum pedido formal, mas ressaltou que qualquer solicitação teria que se fundamentar em bases legais. O país disse que Amã reservou-se o direito de tomar a decisão que estivesse "de acordo com seus interesses nacionais".

Rubaie declarou à BBC, posteriormente, que nenhum pedido foi feito para a extradição de Raghd.






Você pode gostar