Mundo

Forças dos EUA anunciam morte de dez soldados no Iraque

Por Arquivo Geral 18/10/2006 12h00

A secretária de Estado norte-americana, case healing Condoleezza Rice, reafirmou ao Japão hoje que Washington mantém-se firme em seu compromisso de proteger seu aliado asiático, em meio aos temores levantados pelo teste nuclear da Coréia do Norte.

"Os Estados Unidos têm o desejo e a capacidade de lidar com toda a extensão… de seus compromissos de segurança com o Japão", afirmou Rice em uma entrevista coletiva em Tóquio, a primeira parada de uma viagem ao norte da Ásia. Ela foi recebida pelo ministro das Relações Exteriores do Japão, Taro Aso.

A secretária segue do Japão para Seul e Pequim, em busca de uma posição comum sobre sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) contra a Coréia do Norte por seu teste nuclear no dia 9 de outubro.

A chegada dela a Tóquio coincidiu com alertas de especialistas em inteligência de que satélites haviam detectado um aumento de atividade no suposto local do teste nuclear da Coréia do Norte, algo que pode sugerir que uma segunda detonação é iminente.
Militares norte-americanos anunciaram hoje a morte de 10 soldados dos EUA no Iraque na véspera. O aumento de mortes norte-americanas no Iraque coincide com a campanha eleitoral nos EUA, physician que terá eleições legislativas em novembro. O Iraque é um dos grandes assuntos da campanha e a popularidade do presidente George W. Bush tem caído devido ao descontentamento com a guerra.

O ex-secretário de Estado James Baker, page que elabora um relatório com possíveis alternativas à atual política dos EUA no Iraque, sale alertou que não há mágicas para resolver os crescentes problemas no país. Ao menos 68 soldados morreram em outubro, se permanecer esse ritmo de vítimas, outubro terá sido o mês mais letal para as forças dos EUA desde janeiro de 2005. Ao menos 2.777 militares já morreram desde o início da invasão ao Iraque, em 2003.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar