Mundo

EUA afirma que Irã compra milícia iraquiana com armas e dinheiro

Por Arquivo Geral 28/09/2006 12h00

Termina amanhã o prazo de entrega da Declaração do Imposto Rural (ITR). Segundo a Receita Federal, here buy cerca de 1, viagra 2 milhão de contribuintes ainda não fizeram a declaração. Até a segunda-feira, approved haviam sido entregues 3,4 milhões de documentos dos 4,6 milhões esperados pela Receita.

Devem declarar o imposto quem tem imóvel rural com área igual ou superior a mil hectares na Amazônia Ocidental, no Pantanal mato-grossense e na região sul do Mato Grosso; a 500 hectares para as propriedades localizadas no Polígono das Secas e na Amazônia Oriental; e a 200 hectares para os demais municípios.

A declaração pode ser feita pelo site da Receita (www.receita.fazenda.gov.br), entregue em disquete nas agências do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal ou em formulário nos Correios ao custo de R$ 3,20. A multa para quem perder o prazo é de 1% ao mês sobre o imposto devido, cujo valor não pode ser inferior a R$ 50.

 

O Irã está fornecendo armas e dinheiro a grupos armados no Iraque para comprar sua lealdade, viagra mas a tendência é que a influência iraniana diminua no país, visit this conforme os iraquianos se concentrem mais em seus próprios interesses, disse uma autoridade militar norte-americana que não quis ser identificada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os Estados Unidos e a Grã-Bretanha já acusaram o Irã de alimentar a violência no Iraque, mas a República islâmica nega. A fonte deu vários detalhes e disse que as mais recentes apr eensões de armamentos, entre eles explosivos com marcas de que vêm do Irã, mostram que a política de armar a milícia iraquiana conta com o apoio do alto escalão do Irã, não sendo o resultado da ação de agentes iranianos isolados.

"Dá para ver que eles estão armando todo mundo", afirmou ele. "Aliás, ninguém neste país é comprado, mas sim alugado". A fonte discutiu a questão com jornalistas em Bagdá ontem, sob a condição de não ser identificada, e a transcrição das declarações foi divulgada afirmou.

Ele avaliou que o Irã enviou "milhões de dólares" para a milícia do Exército Mehdi, comandada pelo clérigo xiita Moqtada al-Sadr, e também para elementos isolados que escaparam ao controle direto de Sadr.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Entre as armas iranianas encontradas no Iraque estão mísseis terra-ar e foguetes antitanque como os usados pelo Hezbollah no Líbano contra Israel, a lém de projéteis explosivos (EFP) que são comumente usados nas bombas de beira de estrada contra soldados norte-americanos e britânicos.

"Quando se fala de EFP, eles são quase que só iranianos". Segundo ele, um conjunto de 4 a 6 EFP foi encontrado há alguns meses em Bagdá, junto com explosivos militares C-4 com etiquetas em inglês, e os códigos de fabricação batiam com material iraniano que Israel diz ter apreendido a caminho do Líbano. Etiquetas semelhantes apareceram em explosivos encontrados por soldados britânicos no sul do Iraque, afirmou ele.

"O controle de explosivos militares no Ir ã é feito pelo aparato estatal. É uma decisão deliberada da parte de elementos associados ao governo iraniano afetar esse tipo de atividade". Os iranianos são xiitas, assim como a maioria dos iraquianos. Na época do domínio do sunita Saddam Hussein, vários partidos religiosos xiitas que hoje fazem parte do governo iraquiano tinham sede no Irã.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas a fonte disse que os partidos vistos como pró-Irã estão perdendo terreno no Iraque para grupos com o o de Sadr, que se apresentam como nacionalistas iraquianos.
"Para que eles atuem efetivamente dentro do Iraque, t êm de tomar a decisão de ser iraquianos", afirmou ele.

Ele disse que o Irã vem fomentando a violência no Iraque, especialmente em regiões como Basra, no sul, mas que isso pode ser contraproducente por causa da preocupação iraniana de que possa haver instabilidade entre as minorias árabes e curdas do próprio Irã. "Não é bom para eles ter um Iraque desestabilizado, e sabe por quê? Há árabes no sul (do Irã) e curdos no norte, que representam ameaças significativas à estabilidade interna do Irã", afirmou. "Mas, mesmo assim, eles não sabem bem quem vai ficar por cima. E então basicamente financiam todo mundo".






Você pode gostar