Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mundo

Em mensagem à minorias, Trump diz que será voz dos "norte-americanos esquecidos"

Por Agência Estado 23/09/2016 1h01

O candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, enviou uma mensagem às minorias do país, afirmando que será a voz das famílias negras e hispânicas que foram esquecidas pelo Partido Democrata.<p><p>Trump, que tem grande rejeição entre esses grupos, afirmou que sua rival, a democrata Hillary Clinton, é uma figura do establishment letárgica demais para melhorar as vidas das regiões habitadas por essas minorias e que são afetadas pelo crime.<p><p>"Hilary Clinton não tem que se preocupar com sirenes e tiroteios à noite’, disse durante um comício no subúrbio da Filadélfia. "Ele não se preocupa com isso. Ela apenas dorme."<p><p>Maya Harris, uma conselheira da campanha de Clinton, afirmou em um comunicado na noite de ontem que "nenhum candidato que consistentemente insulta, rebaixa e divide as pessoas, passa cinco anos questionando a legitimidade do primeiro presidente negro da história dos Estados Unidos, se tornou o candidato da extrema direita e fracassou em oferecer soluções ou mesmo entender as questões enfrentadas pelos negros norte-americanos pode dizer o que os outros devem fazer."<p><p>"Agora é tempo de juntar as pessoas e desenvolver soluções reais. Trump é completamente incapaz disso".<p><p>O republicano se apresentou para uma plateia predominantemente branca de cerca de 4 mil pessoas subindo ao palco com a música tema do filme Rocky. "Quem será a voz de todos os norte-americanos esquecidos deste país?" Questionou, invocando o exemplo da família pobre de subúrbio ou a "mãe que se sente uma refugiada em seu próprio país". "Eu serei."<p><p>A base eleitoral de Trump consiste amplamente de homens brancos da classe trabalhadora. Segundo uma média feita pelo Real Clear Politics, a liderança de Clinton sobre Clinton sobre o republicano é de 2,6 pontos porcentuais no país.<p><p>Entre crescente o eleitorado hispânico no país, por outro lado, ele tem um desempenho pior do que o seu antecessor, Mitt Romney, na eleição de 2012. Segundo a última pesquisa do Wall Street Journal com a NBC News, Trump fica 48 pontos porcentuais atrás de Clinton. Quando o presidente Barack Obama venceu, há quatro anos, Romney ficou 44 pontos porcentuais atrás. Fonte: Dow Jones Newswires. <br /><br /><b>Fonte: </b>Estadao Conteudo








Você pode gostar